Luciana Genro

Começa a cair a máscara do governo Bolsonaro

10 de dezembro de 2018 10h30

O governo Bolsonaro ainda nem começou, mas a máscara já está caindo. As pessoas bem intencionadas, que votaram no ex-capitão embalados pela promessa de que com ele a corrupção iria acabar, já estão se decepcionando.
O ex-motorista que movimentou mais de um milhão na sua conta bancária e, ao mesmo tempo, precisou de um empréstimo de R$ 40 mil, tem que ter uma explicação realmente muito convincente. Além disso, Bolsonaro também deve ter como provar que emprestou dinheiro ao amigo. Transações bancárias deixam rastros. Ou ele entregou os 40 mil em cash? 

E o futuro ministro Sergio Moro? Não vai dizer nada? Seu objetivo no Ministério da Justiça é só esperar a vaga no STF?
A nomeação do advogado Ricardo de Aquino Salles para Ministro do Meio Ambiente, sendo ele alvo de ção por improbidade administrativa, acusado de manipular mapas de manejo ambiental do rio Tietê, é mais uma demonstração de que a tal caneta Bic do Bolsonaro só está funcionando para dar abrigo aos tipos mais suspeitos. Neste caso um cidadão que incita a violência – chegou a sugerir o uso de munição de fuzil contra a esquerda e o MST – e que será um fantoche do setor do agronegócio a frente do Ministério. 

Na mesma trilha do Ministro das Relações Exteriores, o novo Ministro do Meio Ambiente dispara frases bizarras contra a esquerda e faz parte de um movimento chamado “Endireita Brasil”. Algo tão ridículo quanto seria um movimento chamado “Esquerdiza Brasil”. Certamente ele considera que o aquecimento global é invenção de marxistas. Com esta dupla, o Brasil caminha a passos largos para virar piada no mundo. Mesmo não tendo graça nenhuma.