Luciana Genro

“Quero construir um governo com os municipários”, diz Luciana Genro em debate do SIMPA

02 de setembro de 2016 10h19

A candidata Luciana Genro, da coligação “É a vez da mudança” (PSOL, PPL, PCB), participou na noite desta quinta-feira (01/09) do debate promovido pelo Sindicato dos Municipários (SIMPA), que ocorreu no auditório Dante Barone, na Assembleia Legislativa.

Luciana se mostrou a mais preparada para governar a capital | Foto: Samir de Oliveira/PSOL

Luciana se mostrou a mais preparada para governar a capital | Foto: Fernanda Piccolo/PSOL

A candidata agradeceu a liderança nas pesquisas e reafirmou que isso só aumenta o compromisso dela com um novo projeto para governar Porto Alegre. Em um evento voltado aos servidores concursados da prefeitura, destacou a principal proposta para qualificar o atendimento é o corte de 70% dos cargos de confiança e a valorização dos trabalhadores de carreira. Nos postos de coordenação e cargos técnicos prometeu nomear pessoas com conhecimento, e os servidores de carreira terão prioridade. “Eu quero construir um governo com os municipários, ouvindo a categoria”, frisou.

Outro tema novamente defendido por Luciana foi o aumento na fiscalização sobre os serviços públicos terceirizados. “É possível governar com as mãos limpas, combatendo a corrupção, não permitindo que ocorra o que aconteceu no DEP e na FASC”, disse em alusão aos escândalos envolvendo o pagamento de serviços não prestados à prefeitura, fraude revelada recentemente pela imprensa. Ela ainda pontuou que “há um processo de terceirizações brutal, R$ 1 bilhão foi o gasto da prefeitura no ano passado com as terceirizadas. A Lei de Responsabilidade Fiscal nos impede a reversão total deste processo. Mas nós podemos fortalecer o serviço púbico para que haja uma efetiva fiscalização das terceirizadas. Precisamos fazer concurso para áreas chave, como a saúde, a educação e a segurança”.

Única mulher na disputa pela prefeitura, Luciana ainda criticou as medidas de ajuste que os governos do PMDB vem fazendo contra servidores públicos em todos os níveis. “Vamos fazer de Porto Alegre um exemplo de luta e de enfrentamento contra o governo ilegítimo e impopular de Temer. O que vimos nos últimos 12 anos de governos do PMDB em Porto Alegre é o desmonte do setor público”, declarou para em seguida reafirmar o compromisso de sempre estar ao lado dos trabalhadores. “Sempre tive lado na minha vida política. Vou governar Porto Alegre com lado na luta de classes, o lado dos trabalhadores”.

Ao final, Luciana afirmou que a qualificação das escolas será fundamental através de uma política transversal de segurança, esporte, cultura e lazer. A candidata ainda garantiu uma política permanente de valorização dos educadores e o combate ao assédio moral e ao autoritarismo protagonizado pela atual secretária de Educação. Garantiu que vai aplicar uma política de ‘escola sem mordaça’. “Quero levar para dentro das escolas de Porto Alegre o kit anti-homofobia que a Dilma vetou por pressão da bancada fundamentalista”, finalizou.