Luciana Genro

Juventude da Zona Norte recebe Luciana Genro com entusiasmo em painel com candidatos

06 de setembro de 2016 11h52
Centenas de estudantes ouviram atentamente propostas de Luciana | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Centenas de estudantes ouviram atentamente propostas de Luciana | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

A juventude da Zona Norte de Porto Alegre recebeu com entusiasmo as propostas da candidata Luciana Genro em painel entre candidatos à prefeitura realizado na manhã desta terça-feira (06/09) no Centro Social Marista, no bairro Rubem Berta. Ela apresentou as propostas da coligação “É a vez da mudança” (PSOL, PPL, PCB) a uma plateia formada por estudantes de três escolas públicas da região, que reagiram com inúmeras manifestações de apoio durante sua fala.

Luciana apresentou propostas para saúde, educação e segurança | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Luciana apresentou propostas para saúde, educação e segurança | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Por cerca de duas horas ela respondeu questionamentos formulados pelos próprios alunos. Sobre educação, a candidata afirmou que a melhoria do ensino passa pela valorização profissional dos professores, que hoje encontram-se desmotivados. Ainda garantiu que irá aumentar os valores repassados aos convênios com escolas infantis, que hoje recebem verbas inferiores aos estabelecimentos da rede pública municipal. “É necessário trazer as experiências que a juventude vive do lado de fora, como o hip hop, teatro, capoeira, música, esportes, afinal, essa violência também reflete a evasão escolar, pois os jovens não se sentem mais contemplados pelo modelo de ensino. Precisamos torná-lo mais atrativa para mantê-los na escola”.

Já na área da segurança, Luciana Genro afirmou que irá cobrar do governo estadual um maior efetivo na capital. “Não adianta só Força Nacional vir. Precisamos de uma Guarda Municipal territorializada, com vínculos nos bairros, aliada a alarmes comunitários e redes de contato, tudo isso em trabalho conjunto com Brigada Militar”, detalhou.

Luciana ainda apresentou as propostas para área da saúde e assistência social, especialmente para acelerar o atendimento nos postos e diminuir as filas de espera. Citou os projetos de telessaúde e teleatendimento, que facilitam o contato entre médicos, especialistas e pacientes na elucidação de dúvidas e pedido de exames. Ela também criticou a queda nos repasses para área. “O orçamento da prefeitura de Porto Alegre para a saúde reduziu em R$ 139 milhões no ano passado. O governo Dilma cortou R$ 30 milhões e o governo Sartori outros R$ 43 milhões, portanto,  não estou fazendo acusações infundadas”, finalizou.