Luciana Genro

Segundo debate entre candidatos à prefeitura de Porto Alegre é promovido por Sescon-RS e Rádio Guaíba

18 de agosto de 2016 19h32

No segundo debate da campanha eleitoral, a candidata Luciana Genro, que representa a coligação “É a vez da Mudança” (PSOL, PPL, PCB), manteve a postura propositiva e enfrentou todos os temas apresentados para melhorar a administração de Porto Alegre. O evento foi promovido pelo SESCON/RS e transmitido ao vivo pela Rádio Guaíba. Luciana foi o debate acompanhada do presidente do diretório municpal do PSOL e candidato a vereador, Roberto Robaina, dos vereadores Prof Alex Fraga e Fernanda Melchionna, do candidato Renato Guimarães e de aliados do PPL e do PCB.

Luciana foi a mais proposta do debate no SESCON/RS | Foto: Fernanda Piccolo/PSOL

Luciana foi ao debate do SESCON/RS acompanhada de dirigentes do PSOL e aliados do PPL e do PCB, além de parlamentares e candidatos à Câmara Municipal. | Foto: Fernanda Piccolo/PSOL

O encontro durou quase três horas e delineou de forma clara a postura dos candidatos: enquanto Luciana buscou o debate, o representante da atual administração, Sebastião Melo, do PMDB, evitou direcionar suas perguntas à candidata do PSOL nas duas oportunidades que teve.

Um dia após o Tribunal de Contas (TCE) multar o atual prefeito por se omitir na apresentação de medidas voltadas à criação de vagas nas escolas infantis para crianças de 0 a 5 anos, Luciana trouxe propostas claras e viáveis para universalizar e qualificar o atendimento. “Hoje 55% das crianças de 0 a 6 anos não têm vaga na escola infantil. Assim, muitas mães não podem trabalhar”, lembrou. A candidata afirmou que além da construção de novas escolinhas ser uma prioridade, o governo do PSOL também vai se dedicar a elaboração de um projeto pedagógico e de investimentos que qualifique o atendimento nas instituições conveniadas, que hoje prestam um serviço de menor qualidade.

Candidatos debateram por quase três horas | Foto: Fernanda Piccolo/PSOL

Candidatos debateram por quase três horas no evento do Sescon/Guaíba. | Foto: Fernanda Piccolo/PSOL

Outro tema abordado pela candidata foi segurança pública. “Vamos seguir o exemplo de Canoas, com a instalação de alarmes comunitários, em contato com a Guarda Municipal, que vai estar presente nos bairros, e queremos incluir a EPTC em um sistema municipal de segurança”, explicou.

Ela ainda citou que pretende expandir a Balada Segura, criando uma “Balada Segura de Verdade”, para que nos dias de ação contra a mistura de álcool e direção também haja uma presença ostensiva do poder público, com agentes da Guarda Municipal e da EPTC espalhados pelos bairros onde ocorrem as blitze. “Assim a população vai poder circular de forma tranquila sabendo que o poder público está presente naquela região”, disse.

Ainda no tema da segurança, a candidata criticou o governo federal pelo contingenciamento de verbas para programas importantes, como o Pronasci. “A Dilma lamentavelmente liquidou com o Pronasci, que foi uma iniciativa positiva do governo federal”, recordou.

Para qualificar a gestão e os serviços públicos à população, Luciana reiterou a necessidade de adoção de duas medidas urgentes: a redução de 70% dos cargos de confiança, atualmente utilizados para acomodar os aliados das grandes coligações, e também a efetiva fiscalização sobre os contratos com as empresas terceirizadas, foco de descontrole e superfaturamento. “Hoje há 119 CCs no gabinete do prefeito. Não sei onde eles estão, porque nem devem caber no gabinete”, disse.

Ela ainda lembrou que precisou ser revelado um escândalo de corrupção de mais de R$ 2 milhões para que o DEP enfim tivesse um técnico no comando. “Há 16 anos nós não tínhamos um engenheiro presidindo o departamento, eram sempre indicações partidárias, sendo que por lei deveria ser um engenheiro”, criticou.

Nas redes sociais, Luciana Genro foi a mais citada pelos intenautas durante o debate.

O conteúdo completo das propostas do PSOL para mudar Porto Alegre pode ser conferido aqui.