Luciana Genro

Operários de Candiota conquistam reajuste

09 de setembro de 2009 17h05
Divulgação

Divulgação

Reunidos em assembléia na manhã desta terça-feita, 8, os operários da Fase C da Usina Termelétrica Presidente Médici, em Candiota, interior gaúcho, aceitaram a proposta das empresas. O acordo contempla o reajuste de 10 % para serventes e ajudantes e 8,5 % para oficiais, R$ 90 de abono retroativo ao mês de maio, 45 dias de estabilidade para os grevistas e o pagamento dos dias parados, que serão recuperados em 80%, uma hora por dia e aos sábados.

O acordo atende em parte às reivindicações da categoria. O pagamento de insalubridade e periculosidade não foi garantido, e esse é um problema central, dado os inúmeros acidentes de trabalho ocorridos na obra. Há também a preocupação em relação à perseguição aos grevistas após o prazo de 45 dias de estabilidade. A recuperação de 80% dos dias parados também deve ser questionada, tendo em vista que a atual jornada de trabalho já é exaustiva aos trabalhadores.

Ainda assim, a mobilização na Usina Presidente Médici deve ser saudada como uma grande vitória. Vivemos um período de dificuldades e derrotas para a classe trabalhadora e para a mobilização. Além do atendimento de algumas de suas reivindicações, os operários de Candiota deram um exemplo para todo o país: a luta é necessária até a conquista.

De nossa parte, seguiremos acompanhando a situação na Usina e apoiando as mobilizações.


Clodoaldo Fagundes, PSOL Bagé/RS
Jurandir Silva, PSOL Pelotas/RS