| Assistência Social

No dia 26 de março foi aprovado na Câmara dos Deputados a renda mínima emergencial para trabalhadores(as) informais, autônomos e desempregados por conta da pandemia do coronavírus. O benefício pode chegar a R$ 1200 por família. As mulheres, chefes de família (que criam seus filhos sozinhas), poderão acessar dois benefícios, como propôs a emenda do PSOL. Essa foi uma derrota de Guedes e Bolsonaro, que propuseram uma renda mínima miserável de R$ 200/mês por trabalhador(a). 

Entenda as regras:

Qual é o valor?

Auxílio emergencial de R$ 600,00 mensais por trabalhador(a). Famílias com 2 ou mais trabalhadores e famílias cujas mães sustentam sozinhas seus filhos vão receber R$ 1.200 reais.

Quem pode receber?
– Maior de 18 anos, sem emprego formal ou desempregado, autônomos microempreendedores individuais (MEI) com renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou a renda familiar mensal total de até três salários mínimos;

– Não pode ser titular de benefício previdenciário ou assistencial, nem beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, com exceção do bolsa-família.

Como posso solicitar o auxílio?
As condições serão verificadas por meio do CadÚnico, para os trabalhadores inscritos, e por meio de autodeclaração, para os não inscritos, por meio de plataforma digital. 

Essa é uma vitória contra Bolsonaro, mas não achamos que este valor é suficiente. Continuaremos lutando para uma renda mínima digna que chegue no mínimo a dois mil reais por família e por mais benefícios sociais que possam garantir condições de isolamento social para todos! Vale lembrar que o projeto ainda precisa ser votado no Senado e sancionado pelo Executivo.

Saiba mais no vídeo de Fernanda Melchionna explicando a renda mínima:

Renda mínima aprovada é derrota de Bolsonaro!

📣 Depois de propor uma renda mínima miserável de R$200, Bolsonaro foi derrotado com a aprovação da renda mínima que pode chegar a R$1200 por família. As mulheres chefes de família poderão acessar dois benefícios, como propôs emenda do PSOL. Essa é uma vitória contra Bolsonaro, mas não achamos que este valor é suficiente. ✊🏼 Continuaremos lutando para uma renda mínima digna que chegue no mínimo a dois mil reais por família e por mais direitos sociais que possam garantir condições de isolamento social. O povo não pode escolher entre se contaminar com coronavírus ou morrer de fome. A luta está apenas começando!

Posted by Fernanda Melchionna on Thursday, March 26, 2020