Luciana Genro

Justiça para Marielle – 1 ano sem resposta

21 de janeiro de 2019 13h42

Marielle Franco, mulher negra, LGBT, mãe, ativista dos Direitos Humanos, socialista, favelada, vereadora, feminista.

Dia 14 de março de 2019 marca o primeiro ano do brutal assassinato da vereadora do PSOL RJ e de Anderson Gomes, motorista que trabalhava com ela. Defensora incansável e destemida dos direitos das negras e negros, dos LGBTs, das mulheres e das comunidades de baixa renda, Marielle nasceu e se criou em um dos bairros mais pobres do Rio. Fazia uma campanha implacável contra a espiral de violência policial nas favelas da cidade, contra a intervenção militar de Michel Temer, em favor das vidas!

Marielle foi assassinada logo após sair de uma atividade na qual afirmava que mulheres negras movem estruturas. Provavelmente, quem matou e mandou matar Marielle desconhecia essa afirmação. Não sabia que não toleramos ser silenciadas.

No março feminista, fazemos um grande chamado. Embora haja fortes indícios do envolvimento de milicianos no crime, ainda não há justiça para Marielle e Anderson. O governo Bolsonaro, que sempre se manteve em silêncio sobre o caso, não assumiu qualquer compromisso com justiça.

Dia 14/03 vamos lutar por justiça para Marielle, pela vida das mulheres, pela vida dos negros e negras. O evento será na Esquina Democrática, em Porto Alegre, a partir das 18h.