Luciana Genro

A extinção das Fundações se comprova um erro de Sartori

11 de julho de 2018 17h57

A extinção das Fundações se comprova um erro de Sartori. O RS está pagando caro!

O argumento para a extinção de oito fundações no governo Sartori era economizar recursos. A cada dia que passa, entretanto, essa justificativa vai sendo desmontada. Sartori está gastando mais para contratar empresas privadas para fazer o trabalho de fundações extintas.

A Fipe, fundação contratada para substituir a FEE recebeu R$ 3,3 milhões, quase o dobro do que era investido na FEE, que ainda dava lucro ao Estado. Para piorar, o estudo entregue pela empresa, referente ao PIB gaúcho, está sendo fortemente questionado por economistas, professores e pesquisadores do setor.

E o problema não para por aí: em junho, o Tribunal de Contas do Estado já havia suspendido o contrato do governo com a Fipe, em uma ação que questiona a eficácia do convênio. Se inclusive o TCE questiona a contratação, porque Sartori insiste?

Como se não bastasse, a extinção das fundações ganhou mais um capítulo nesta semana. Os servidores estão sendo transferidos para secretarias como a Saúde e a Segurança Pública, com atuações totalmente distintas para às quais se qualificaram e prestaram concurso público. Economistas, cientistas sociais e sociólogos foram transferidos para áreas administrativas da Polícia Civil e até para a Superintendência dos Serviços Penitenciários.

Além do desperdício de recursos e de inteligência, a privatização da pesquisa econômica deixa a estatística e o planejamento do estado à mercê de interesses políticos.

Não podemos deixar que desmontem o nosso Rio Grande!