Luciana Genro

Barrar as reformas com a organização do povo nas ruas

08 de junho de 2017 15h14

Ato em Brasília no dia 24 de maio reuniu mais de 100 mil pessoas contra o governo Temer e as reformas neoliberais | Foto: Fernanda Piccolo

Por Luciana Genro

A classe dominante ainda não encontrou um nome de consenso para substituir Temer. Por isso é muito provável que o TSE acabe absolvendo o presidente, em uma decisão política que ignora a gravidade das denúncias. Mas nem tudo anda como a elite quer. A Lava Jato é a prova disso, atingindo em peso os partidos do sistema, ferindo de morte o governo Temer e o PSDB de Aécio Neves. A Lava Jato é importante para desnudar a corrupção e desestabilizar o regime, mas não podemos confiar cegamente no Judiciário. Apenas a organização do povo e a mobilização da classe trabalhadora pode barrar as reformas neoliberais e garantir eleições gerais já.

Dia 20 de junho haverá uma nova onda de manifestações no país. E no dia 30 de junho o Brasil vai parar em uma nova Greve Geral. Esse é o caminho da luta!