Luciana Genro

Segurança, geração de empregos e gestão qualificada pautam entrevista de Luciana à Rádio Gaúcha

21 de setembro de 2016 19h32
Luciana novamente demonstrou preparo e coerência | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Luciana novamente demonstrou preparo e coerência | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Propostas concretas para resolver os problemas reais de Porto Alegre foram detalhadas por Luciana Genro em entrevista ao Gaúcha Atualidade na manhã desta quinta-feira (22/09). Por 15 minutos ela respondeu perguntas feitas pelos apresentadores Rosane de Oliveira, Carolina Bahia e Daniel Scola para esclarecer a população sobre o plano de governo do PSOL para a capital gaúcha.

Otimista com campanha, pois concorre com tempo de propaganda muito inferior aos demais candidatos e mantém-se em empate técnico nas pesquisas, ela atribuiu o desempenho à vontade de mudança dos eleitores. “Quero ser prefeita para exercer minhas qualidades, nunca fui de abandonar princípios ou mudar de lado”. Luciana ainda afirmou que sua vantagem em relação aos demais candidatos está no fato de não ter comprometimento com alianças partidárias que resultem em loteamento de cargos.  “Vamos buscar nomes que sejam representativos da sociedade civil. As secretarias precisam de relação transversal entre si para que os programas tenham andamento”, detalhou.

Ela ainda lembrou que enquanto o gasto anual com CCs supera R$ 150 milhões a segurança pública recebeu 1/3 do valor,  pouco menos de R$ 50 milhões. “Isso significa loteamento partidário em detrimento da qualidade no serviço público”, enfatizou. Ainda sobre segurança pública, detalhou a ação da Balada Segura de Verdade, onde agentes e guardas municipais serão espalhados em bairros da cidade nas noites de blitze. “Não precisamos ficar preocupados só em multar, mas em cuidar das pessoas”.

Luciana ainda afirmou se comprometeu a não aumentar impostos e fomentar a instalação de empresas e geração de empregos. “Temos que apostar na economia criativa, fomentando setores como a gastronomia, cinema, cervejas artesanais. E isso pode ser feito através do microcrédito para estimular negócios”, finalizou.