Luciana Genro

Em sabatina na Guaíba, Luciana Genro defende eficiência na prestação do serviço público

01 de setembro de 2016 16h37
Luciana detalhou propostas por quase 1h | Foto: Samir Oliveira/PSOL

Luciana detalhou propostas por quase 1h | Foto: Samir Oliveira/PSOL

Ao longo de 45 minutos, a candidata Luciana Genro respondeu questionamentos e abordou em profundidade o plano de governo da coligação “É a vez da mudança” (PSOL, PPL, PCB) no início da tarde desta quinta-feira (01/09),  em sabatina realizada no programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba. Entrevistada pelos jornalistas Juremir Machado da Silva e Taline Oppitz, ela reforçou que o PSOL pretende fazer um governo em Porto Alegre que sirva de inspiração e paradigma para o restante do país em um momento em que a política atravessa uma crise de credibilidade na sociedade.

Para a candidata, o processo de melhoria da cidade passa pela moralização da gestão pública. Citou o corte de 70% dos CCs em detrimento da nomeação de técnicos em áreas específicas, onde o critério político não pode preponderar. “Temos o caso de alguns gerentes de programas que são CCs e quando eles deixam o cargo acaba-se com a continuidade. Precisamos  de funcionários de carreira fazendo gerenciamento”, explicou.

Ainda na linha de ampliar a eficiência da gestão, garantiu que sua grande vantagem é justamente não participar grande aliança partidária, sem compromisso com o loteamento de cargos entre aliados. “Vou chamar para governar comigo as pessoas qualificadas pra cada área, desde que tenham afinidade programática”. Luciana também sinalizou com a transformação dos Centros Administrativos Regionais em subprefeituras, onde a relação entre secretários e subprefeitos será supervisionada pelo gabinete da prefeita, cobrando prazo para a solução de problemas nos bairros.

Quanto ao desperdício de recursos públicos, lembrou dos casos de corrupção envolvendo DEP e FASC, onde serviços eram pagos mas não eram realizados. “Precisamos reforçar a fiscalização para melhorar a prestação de serviços públicos. Esse modelo ancorado na terceirização de todas as áreas, desde a coleta de lixo, troca de lâmpadas e poda de árvores precisa ter maior controle”, enfatizou.

Na área da segurança, a candidata do PSOL reformou o compromisso com o direcionamento da Guarda Municipal ao policiamento comunitário, estabelecendo vínculos com as comunidades supervisionadas. Já na saúde, Luciana reiterou que pretende aplicar tecnologias para agilizar o atendimento. Explicou o funcionamento dos serviços de telessaude e teleatendimento, que vão ajudar na orientação dos pacientes a buscar o atendimento mais adequado e também orientar médicos de família na elaboração do diagnóstico, reduzindo o fluxo de consultas com especialistas. “O programa vai se aprimorando ao longo da campanha e do governo, incrementado pela participação popular, que vai dar respaldo aos projetos que nascerem da cidadania organizada. Queremos dar um exemplo de que é possível fazer política de mãos limpas e prestando serviços eficazes”, concluiu.