Luciana Genro

PMDB e seu fisiologismo seguem no comando do Congresso

01 de fevereiro de 2015 19h58

Por Luciana Genro

O PMDB seguirá no controle do Senado com Renan Calheiros e, agora, com Eduardo Cunha, na Presidência da Câmara. Isso significa que as piores práticas políticas seguem no comando do Congresso. O fisiologismo e o clientelismo seguem dominando o Legislativo, na contramão das críticas da sociedade e das mobilizações de junho de 2013.

A crise política que o Brasil vive será aprofundada com a revelação dos políticos envolvidos na Operação Lava Jato. Talvez o Congresso fique acéfalo, caso se confirme o beneficiamento direto de Renan e Cunha com o escândalo. O governo Dilma e o PT foram decisivos para a vitória de Renan. Mas mesmo a vitória de Cunha não abala o Planalto, já que segue se reportando ao vice-presidente Michel Temer.

O resultado mostra que o Congresso segue voltado para si e para os privilégios dos deputados, de costas para o povo. O PSOL fez sua parte parte. Chico Alencar e o programa apresentado marcaram um contraponto ao fisiologismo. A luta segue!