Luciana Genro

Marina Silva negocia até os Direitos Humanos

30 de agosto de 2014 15h26

Por Luciana Genro

Foto: Guilherme Prado

Foto: Guilherme Prado

A cada dia de campanha, uma nova surpresa se revela na candidatura de Marina Silva. Logo na largada, a afirmação de suas propostas para a economia me fizeram escrever um texto em que a defini como a segunda via do PSDB. Em especial, a mais ortodoxa proposta pró-mercado, a autonomia completa do Banco Central, na qual a Presidência da República abdica de controlar a política econômica do país.

Ontem, Marina surpreendeu muitas pessoas com suas avançadas propostas de defesa dos direitos da cidadania LGBT, contrariando suas posições políticas atrasadas sobre o tema. Hoje, a campanha de Marina publicou uma “errata” em que simplesmente deleta todas as propostas concretas voltadas ao à população LGBT. Essa modificação se deu menos de 24 horas do pastor Silas Malafaia criticá-la via Twitter.

Marina cedeu à bancada da intolerância, como cedeu ao mercado, como acena aos usineiros e ao agronegócio. O vale tudo eleitoral, marca da velha política, encontra guarida na campanha de Marina Silva.

Em nossa plataforma de campanha, os Direitos Humanos não se negociam. Apoiamos todas as iniciativas legislativas que visam garantir os direitos LGBTs. Defendemos a igualdade sem ressalvas!