Luciana Genro

Coerência

21 de novembro de 2011 15h13

Quem acha que eu estou em uma “saia justa” por causa da greve dos professores está enganado. Minha posição é a mesma que sempre tive: apoio à luta dos professores. Não abandono a coerência!
A grande questão a debater é a mesma de sempre: de onde devem sair os recursos para pagar o piso ao magistério, para cumprir a destinação constitucional à saúde, e tantas outras justas demandas do povo gaúcho. O PSOL tem posição sobre isso, e ela foi expressa de forma muito contundente pelo Pedro Ruas na campanha eleitoral: é preciso rever o contrato da dívida estadual, que obriga o RS a destinar R$ 2 bilhões ao ano para o governo federal, e este repassa aos especuladores e banqueiros, pagando os juros mais altos do mundo. Não é demais lembrar que este acordo foi feito pelo Britto e FHC e na época eu era deputada estadual do PT, e a posição do partido foi de denunciar o acordo como lesivo aos interesses do Estado. De fato era, e segue sendo. O governo Olívio questionou mas não teve sucesso nas negociações, o governo era FHC. Não quis fazer uma luta de todo o povo gaúcho, como eu e tantos outros defendemos na época. Ao governador Rigotto eu inclusive entreguei um estudo sobre o assunto, mostrando os prejuízos que o Estado tem com este contrato, cheio de cláusulas abusivas. Agora o núcleo gaúcho da auditoria Cidadã da Dívida tem estudo atualizado sobre o significado da dívida estadual para os cofres do RS.
O primeiro passo para conquistar a renegociação é a realização de uma auditoria na dívida, que vai mostrar os absurdos valores que já foram pagos e o montante que ainda pagaremos em detrimento dos interesses do povo gaúcho.
Esta renegociação tem que acontecer, seja no diálogo, seja na luta, ou ambos. Afinal, Dilma tem que atentar aos problemas do Rio Grande do Sul, que é o Estado onde ela vive, e ainda governado pela partido dela!! Se ela não quiser resolver na negociação, vamos fazer uma grande mobilização estadual pela renegociação. Tenho certeza que o CPERS seria parceiro, assim como todos os outros sindicatos e movimentos sociais!!