Luciana Genro

Rosane de Oliveira, Zero Hora, 18 de dezembro de 2010

18 de dezembro de 2010 07h38

Juliana Brizola pode deixar PDT
Deputada estadual mais votada do PDT em outubro, a vereadora Juliana Brizola estuda a possibilidade de deixar o partido que o avô Leonel Brizola fundou e migrar para o PSOL.

O repórter Paulo Germano apurou que Juliana já procurou o presidente do TRE, desembargador Luiz Felipe Difini, para fazer uma consulta informal sobre o risco de perder o mandato se trocar de partido.

Um parlamentar só pode trocar de partido sem perder a cadeira se provar à Justiça Eleitoral que está sendo vítima de perseguição ou que o partido mudou e está descumprindo o próprio programa.

Crise na relação com os colegas
Juliana Brizola está desconfortável no PDT desde a briga que protagonizou no plenário da Câmara com o vereador Mauro Zacher, depois que vieram a público denúncias de irregularidades na Secretaria da Juventude, até então comandada pelo marido dela, Alexandre Rambo. Em meio à crise, Rambo foi demitido pelo prefeito José Fortunati.

A vereadora pediu a abertura de uma CPI para investigar a secretaria, mas a base do governo se mobilizou e o pedido foi rejeitado pela Procuradoria da Câmara.

O que incomodou Juliana foi o fato de outro requerimento semelhante, de autoria do vereador Luiz Braz (PSDB), ter sido aceito.

_____

Rejeitada pelos colegas do PDT, Juliana Brizola encontrou apoio nos vereadores Pedro Ruas e Fernanda Melchionna, que agora tentam levá-la para o PSOL.

_____

Nesta legislatura, dois deputados perderam o mandato por mudar de partido: José Sperotto, que trocou o DEM pelo PTB, e Coffy Rodrigues, suplente do PDT que migrou para o PSDB e assumiu a cadeira de Rossano Gonçalves, prefeito de São Gabriel.