Luciana Genro

Jornal do Comércio, 10 de setembro de 2010

10 de setembro de 2010 08h18

Yeda Crusius e Pedro Ruas vão fortalecer Coredes
Conselhos Regionais de Desenvolvimento entregam pauta de reivindicações aos candidatos

Ruas vai incluir em seu programa o documento. ANA PAULA APRATO/JC

Compromisso com o aperfeiçoamento dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) do Rio Grande do Sul foi a promessa dos dois candidatos ao Piratini que participaram de painel no Fórum Democrático da Assembleia Legislativa nesta quinta-feira. Pedro Ruas (P-Sol) e Yeda Crusius (PSDB), separadamente, tiveram meia hora para expor seus projetos.

Eles receberam do presidente dos Coredes, Paulo Frizzo, documento com as propostas dos 28 conselhos do Estado, além de um planejamento dos conselhos municipais (Comudes). Participaram do encontro 21 representantes regionais. O grupo pediu a qualificação dos processos de deliberação e a criação de mais Coredes.

O texto ainda apresenta pontos sobre desenvolvimento estratégico das regiões, discussão do orçamento estadual, sustentabilidade, recuperação da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs), descentralização econômica e fortalecimento do controle social sobre a gestão pública.

O secretário estadual das Relações Institucionais, Pedro Feiten, também presente, salientou como avanço obtido na atual gestão a participação da população na Consulta Popular e o portal transparência.

A candidata à reeleição, governadora Yeda Crusius (PSDB), foi acompanhada dos ex-secretários Celso Bernardi (PP) e José Alberto Wenzel (PSDB), que foram titulares das Relações Institucionais, secretaria que faz a interlocução política com os municípios.

A tucana destacou que os Coredes foram considerados nos últimos anos um “sistema permanente” do seu plano de governo. E prometeu seguir o planejamento estratégico por região, incluindo a distribuição do orçamento.

“Quanto mais a comunidade decide para que quer os recursos, e firma em um plano de desenvolvimento para quatro anos, mais as conquistas podem ser feitas, chegando a todo o Estado.”

Pedro Ruas afirmou que seu programa de governo está em sintonia com os Coredes e exemplificou com a questão das estradas. “A responsabilidade é do Estado, mas admitimos o pedágio comunitário como exceção”, disse. Segundo Ruas, a ideia é que os Coredes gerenciem esses pedágios e os investimentos nessas rodovias.

O candidato do P-Sol voltou a afirmar que só o seu partido tem proposta coerente e que irá incluir a pauta dos conselhos em seu programa. “Os outros têm alianças, nós temos programa, que ainda não está completo, porque, em contrário, não poderíamos agregar as propostas que estamos recebendo dos Coredes.” Ruas disse ainda que, se for eleito, não pagará a dívida do Estado com a União. “Ninguém sabe o que é a dívida e mesmo assim temos um escoamento de recursos do Estado absurdo.”