Luciana Genro

Correio do Povo, 25 de setembro de 2010

25 de setembro de 2010 09h31

Investimento em segurança é preocupação unânime

O candidato do PSol ao Palácio Piratini, Pedro Ruas, cita o antropólogo Darcy Ribeiro para resumir as diretrizes do plano de governo do partido para a área da segurança pública no Estado. “A segurança é uma conta de adição: emprego mais saúde, mais educação, que é igual à segurança. Nenhum país do mundo tem um policial por habitante. Portanto, o que nós temos que ter são políticas públicas sociais e que tragam desenvolvimento à sociedade”, avaliou.

Ruas critica os baixos salários dos servidores e defende a necessidade de reajuste salarial à categoria. “Nada explica ou justifica isso. Temos que dar tratamento digno aos servidores da segurança”, salienta.

Com uma política de prevenção voltada para a segurança pública, o candidato ao governo pelo PCB, Humberto Carvalho, pretende atenuar e reduzir a criminalidade no Estado. O comunista considera que a repressão à criminalidade é necessária, embora não seja suficiente para garantir segurança à população. “É necessário trazer os excluídos para a sociedade, via trabalho digno e remuneração também digna”, ressalta. As diretrizes do plano de governo do PCB para a área da segurança pública envolvem ainda a criação de um plano do governo estadual de combate a incêndios e prevenção de calamidades.

Humberto destaca que em situações de catástrofes, a população precisa recorrer à generosidade dos gaúchos e pedir roupas e materiais de construção. “É uma obrigação do Estado fazer trabalho de prevenção dessa calamidades, que deve passar da atual Defesa Civil para a Segurança”, observa. Além de defender a valorização dos servidores, o PCB também pretende recompor os efetivos policiais e qualificar os servidores.