Luciana Genro

Jornal do Comércio, 6 de agosto de 2010

06 de agosto de 2010 08h51

Primeiro debate entre presidenciáveis teve tom morno

Paulo Serpa Antunes

Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (P-Sol) participaram na noite desta quinta-feira (5), em São Paulo, do primeiro debate dos candidatos a Presidência da República da eleição de 2010.

Em tom morno, Dilma Rousseff e José Serra polarizaram a discussão, se aproveitando do maior tempo de tela nos blocos em que os candidatos faziam perguntas entre si. Marina Silva tentou se apresentar como alternativa aos líderes das pesquisas, com desempenho discreto.

Mas o elemento novo do debate, que acabou roubando as atenções da mídia, foi a presença de Plínio de Arruda Sampaio. O candidato do P-Sol falava diretamente com o eleitor através das câmeras e alternava frases de impacto (no momento mais cômico, chegou a chamar Serra de hipocondríaco, porque só falava em saúde), com discurso socialista e provocações aos três adversários. A repercussão foi imediata: Plínio acabou virando um dos 10 assuntos mais comentados no Mundo na rede social Twitter, que tem servido de termômetro da opinião pública na internet.

O debate apresentado pelo jornalista Ricardo Boechat começou com uma mesma pergunta formulada pelos leitores do portal do grupo Bandeirantes na Internet, que pedia aos três candidatos que afirmassem qual seria sua prioridade de governo: saúde, educação ou segurança pública. A maioria dos candidatos evitou escolher uma alternativa, enumerando ações nas três áreas.

Na segunda etapa, das perguntas entre os candidatos, o tema da saúde pública dominou a discussão e alguns temas pouco comuns acabaram ganhando espaço: a redução da jornada de trabalho, a situação das Apaes, o combate ao consumo de crack e alguns programas sociais bem sucedidos do governo Lula, como o Luz para Todos. No quarto bloco, os candidatos responderam perguntas formuladas pelos jornalistas Joelmir Betting e José Paulo de Andrade.

No último bloco, reservado para as considerações finais do candidatos, Serra e Dilma falaram de suas biografias, com Serra adotando um tom emocionado ao lembrar de sua trajetória e Dilma destacando a parceria com o presidente Lula. Já Marina recitou poesia, falando sobre um garoto chamado Dado, que conheceu em uma favela. O depoimento final foi de Plínio de Arruda Sampaio, encerrando o tom em geral pacífico do primeiro debate da eleições: “aqui há um muro entre as suas aspirações e a realidade do país”, afirmou.