Luciana Genro

Folha.com, 17 de agosto de 2010

17 de agosto de 2010 21h22

PSOL leva Dilma e Serra a nocaute no horário eleitoral

FERNANDO GALLO
DE SÃO PAULO

Garoto do PSOL leva Dilma e Serra a nocaute na televisão - Divulgação

O PSOL e seu candidato à Presidência, Plínio de Arruda Sampaio, levaram Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), simbolicamente, a nocaute na noite desta terça-feira no horário eleitoral gratuito.

Conforme a Folha antecipou, na peça publicitária em que o partido abordou o tema do financiamento público de campanha, dois atores fisicamente semelhantes aos candidatos –embora um pouco mais gordinhos do que os mesmos– se encontraram em um ringue de boxe.

No começo da cena, um locutor anuncia: “doações dos banqueiros em 2006: R$ 10,5 milhões”. A câmera foca o candidato. A locução é repetida. A câmera, então, foca a candidata –em nenhum momento os nomes de Serra ou de Dilma foram mencionados.

Um corte na cena mostra os dois sendo nocauteados, derrotados por um garoto que surge no meio da peça e é apresentado por meio de um trocadilho com uma marca de cartão de crédito: “candidatura feita pelo povo: não tem preço. Tem pessoas que banqueiro ajuda (sic). Para todas as outras, existe o PSOL”.

Na segunda metade da peça, já fora do ringue, em um estúdio convencional, Plínio expôs suas ideias sobre o financiamento público de campanha.

“Se as candidaturas forem financiadas pelas empresas, elas vão cobrar depois. Vão exigir o que deram, e com juros”, disse.

Veja o programa de Plínio