Luciana Genro

Palmada proibida

15 de julho de 2010 08h20

Sou totalmente a favor da lei que proíbe os pais de bater nas crianças. No mundo adulto não é civilizado resolver as divergências na pancada.

Por que então seria civilizado bater nas crianças que têm muito menos compreensão do que os adultos?

Além disso é covardia bater em crianças, pior ainda quando a violência parte de quem deveria proteger.

A fronteira entre um tapinha e o espancamento é subjetiva. Educar não é agredir nem humilhar. Isso só gera revolta e mais violência!

A lógica que autoriza a polícia a bater em presos é a mesma que autoriza pais a bater nos filhos. Lógica de que a autoridade pode tudo.