Luciana Genro

Jornal do Comércio, 12 de julho de 2010

12 de julho de 2010 11h08

P-Sol aposta na militância de rua

Reprodução

Com o candidato ao governo do Estado, Pedro Ruas, o P-Sol esteve presente na caminhada pelo Brique da Redenção. O coordenador de campanha Roberto Robaina disse estar otimista com a recepção da campanha de rua do partido. Sobre a sujeira na cidade ocasionada pelos santinhos, Robaina foi pontual: “Não tem saída, temos que fazer a campanha eleitoral e distribuir nossos materiais. A diferença é que não somos um partido sustentado por grandes empresas, basta olhar a folha de receita do PT, do PMDB e do PSDB para perceber que esses partidos são sustentados pelos bancos”, destacou.

A campanha de rua será intensificada nas próximas semanas. “Já que não temos tempo de televisão, aumentamos militância nas ruas”.

Do ponto de vista do tamanho do partido, ter sido o primeiro candidato oficializado para a campanha majoritária foi o diferencial do P-sol. “No TRE, fomos os primeiros e também fizemos o primeiro comício dia 6”, contou. Outra personalidade feminina do partido, Luciana Genro disse não se incomodar com a campanha de rua por ser uma prática do P-sol o ano inteiro. Agora o objetivo é pedir voto. “Fazemos campanha na Esquina Democrática durante todo o ano, segundas-feiras ou sextas-feiras são os dias de comício”, afirmou.

A candidata a vice Marliane dos Santos estava satisfeita com a movimentação dos diferentes partidos. “Em comparação com os outros anos, vemos que tem mais movimentos de outros partidos”. Destacou que semana passada o P-sol estava sozinho no Brique. “A democracia referenda as eleições e parece que será bem participativa”.