Luciana Genro

Correio do Povo, 13 de julho de 2010

13 de julho de 2010 10h38

Partidos ainda trabalham na finalização de jingles

O período oficial de campanha ao Palácio Piratini já completou uma semana, contudo, apenas Tarso Genro (PT) e Pedro Ruas (PSol) têm os seus jingles eleitorais finalizados. A governadora Yeda Crusius apresentou uma versão da música na convenção estadual do PSDB. No entanto, apesar de já estar circulando pelo interior do Estado, a faixa passa por um processo de reavaliação e comparação com outras propostas. A intenção é efetuar a escolha do jingle até amanhã, quando será realizada a atividade de mobilização política do PSDB denominada Superquarta.

De autoria do grupo PoETes, do poeta Ricardo Silvestrin, o jingle de Tarso foi gravado na produtora Loop Reclame. Já o áudio que deverá embalar a campanha de Ruas foi criado por Fernando JP, simpatizante do PSol. A campanha de José Fogaça, uma das três principais candidaturas ao governo estadual, também finaliza a produção do seu jingle de campanha. A produção do som, ainda em andamento, é responsabilidade do marqueteiro Fábio Bernardi. O produto final terá de passar por avaliações do núcleo de campanha. O PV do candidato Montserrat Martins aprovou ontem a letra da música, de autoria da secretária de Comunicação da sigla, Fernanda Gauthier. O próximo passo é gravar em estúdio.

Canções estão vinculadas ao discurso dos candidatos

Figuras centrais das campanhas, os jingles servem para sintetizar, por meio de melodias e letras fáceis, o discursos dos candidatos. A música de Tarso Genro (PT) traz o tema da integração do Estado com os projetos nacionais e internacionais de desenvolvimento. Na prática, é a reprodução da frase repetida por Tarso nas últimas semanas: “O Rio Grande do Sul precisa ficar de frente para o Brasil”.

Em um dos trechos do jingle é destacada a frase “Rio Grande do Diálogo”, outro movimento da campanha petista que tenta demonstrar que a sigla abriu-se para coalizões amplas, com lideranças de ideologias diferentes. Não há, no entanto, citação direta ao presidente Lula nem à ex-ministra Dilma Rousseff.

O jingle de Pedro Ruas (PSol) apresenta a sua candidatura como a alternativa da militância de esquerda. Os versos exaltam a coerência, o combate à corrupção, os direitos do trabalhador e dos aposentados.

A faixa apresentada na convenção estadual do PSDB, ainda que não seja considerada a música oficial de Yeda Crusius, diz que o Estado entrou numa fase nova de crescimento e destaca a “coragem”, a “fibra” e a “vontade” como características da tucana.

O refrão valoriza as raízes do povo: “Eu sou gaúcho, eu vou de Yeda”. Uma das frases do jingle faz conexão com a campanha de José Serra (PSDB) quando afirma que “o Rio Grande pode ainda mais”. O slogan da campanha nacional dos tucanos é “O Brasil pode mais”. A canção do PV reforça a parceria entre Montserrat Martins e a presidenciável Marina Silva.