Luciana Genro

Correio do Povo, 10 de julho de 2010

10 de julho de 2010 10h45

Pedro Ruas cumpre roteiro de campanha em Pelotas

Crédito: cristiano estrela

O vereador da Capital Pedro Ruas, candidato do PSol ao Piratini, cumpre hoje roteiros de campanha em Pelotas, na Zona Sul do Estado. Acompanhado pela também vereadora Fernanda Melchionna, coordenadora de campanha do PSol, Ruas participará de duas plenárias que lançarão os candidatos do diretório pelotense do PSol à Assembleia e à Câmara. O socialista ainda terá agendas com os dois postulantes da sigla ao Senado. Pela manhã, ainda em Porto Alegre, Ruas se reunirá com a candidata Berna Menezes. Já em Pelotas, ele encontrará Luiz Carlos Lucas, professor de Pelotas que concorrerá pelo PSol ao Senado.

PSol contesta dívida

As principais bandeiras do PSol na disputa pelo Palácio Piratini são o combate à corrupção e a suspensão do pagamento da dívida do Estado com a União. O candidato Pedro Ruas (PSol) ressalta que o partido foi um dos primeiros a apresentar propostas de governo. A legenda também focará suas ações na reestruturação dos órgãos de segurança pública e do sistema carcerário, além de completar o efetivo policial.

Candidatos ainda fazem ajustes no plano de governo

Iniciada a campanha eleitoral, as coligações ainda não concluíram os programas de governo dos candidatos que disputam o Palácio Piratini. Depois de protocolar as diretrizes de governo no Tribunal Regional Eleitoral no final do prazo legal, na última segunda-feira, a maioria dos postulantes ao governo deve aprofundar as discussões e agregar sugestões de aliados aos programas. Entre as propostas dos candidatos ao Piratini Yeda Crusius (PSDB), Tarso Genro (PT), José Fogaça (PMDB) e Pedro Ruas (PSol), apenas a da tucana, que disputa a reeleição, não tem a preocupação de centrar a artilharia no atual governo.

Com a campanha nas ruas desde o início de fevereiro, o ex-ministro Tarso Genro, da coligação Unidade Popular pelo Rio Grande (PT-PSB-PCdoB-PR), promoveu caravanas pelo Interior. Coordenador-geral do plano de governo da coligação, o ex-vereador Marcelo Danéris (PT), destaca que ao menos 90% das propostas já foram elaboradas. No entanto, com o ingresso de novos parceiros, o projeto a ser apresentado aos gaúchos ainda deve ganhar outras sugestões até agosto.

A aliança Juntos pelo Rio Grande (PMDB-PDT-PSDC-PTN), do ex-prefeito Fogaça, enumera seus principais eixos de ação, mas as propostas devem ser aperfeiçoadas ao longo do mês pelos aliados. O PSDB, por ter confirmado no final do prazo do calendário eleitoral seus parceiros na coligação Confirma Rio Grande (PRB-PP-PSL-PSC-PPS-PHS-PSDB-PTdoB), ainda faz ajustes no programa de governo. Os tucanos, no entanto, devem dar continuidade às propostas que nortearam a campanha de Yeda em 2006, e amplificar as conquistas do ajuste fiscal implementado no Estado.

Com chapa pura, o PSol foi uma das primeiras legendas a concluir o plano de governo. As principais bandeiras do partido são o combate à corrupção e a suspensão do pagamento da dívida do Rio Grande do Sul com a União até a realização de uma auditoria.