Luciana Genro

Caixa-dois do PTB na prefeitura de Fogaça?

03 de maio de 2010 11h01

Relegada à página policial de ZH, a notícia política mais importante de hoje é a possibilidade do MP ampliar número de denunciados no caso Eliseu, incluindo políticos do PTB. Disse o promotor Eugênio Amorim: “Tudo indica que existia um esquema de caixa-dois no PTB, e o Eliseu foi contra ele ao cancelar o contrato com a empresa Reação.” Segundo a matéria da ZH, a suspeita estaria baseada em depoimentos colhidos pelo MP. Mas a polícia segue agarrada na tese do assalto, e com ela os políticos do PTB e até alguns jornalistas. No final de semana uma matéria “plantada” pela polícia falava de um vídeo supostamente muito importante no qual os próprios bandidos “confessavam” que foi só um assalto, nada de execução. O experiente jornalista das páginas policiais escreveu que seria fundamental que o tal vídeo viesse à tona. Seria de rir se não fosse para chorar. Que importância tem um vídeo gravado pela polícia onde os bandidos negam a tese de execução? ZERO!

A verdade é que a situação está cada vez mais complicada, mas a operação-abafa está mais forte do que nunca. A morte suspeita de Eliseu Santos é uma pedra no caminho de Fogaça, afinal, foi no governo dele que a propina teria corrido solta, com ou sem a concordância de Eliseu, pois o fato dele ter cortado o esquema não prova que em algum momento ele não concordou. Mas não vale a pena falar dos mortos. Falemos dos vivos: Fogaça foi embora e não explicou nada, por isso a CPI segue na pauta!