Luciana Genro

Rosane de Oliveira, Zero Hora, 7 de abril de 2010

07 de abril de 2010 08h53

Sollus defende CPI na Câmara

Investigado pelo suposto desvio de cerca de R$ 9 milhões dos cofres de Porto Alegre, o Instituto Sollus – Oscip com sede em Sorocaba (SP) – quebrou o silêncio mantido desde a morte do ex-secretário Eliseu Santos para defender a abertura de uma CPI na Câmara para investigar a relação entre a entidade e o governo José Fogaça.

Segundo o advogado do Sollus, Ricardo Breier, a Oscip paulista não tem nada a esconder e acredita que uma CPI poderia ajudar a esclarecer o que realmente aconteceu durante os dois anos em que esteve à frente dos postos de saúde da Capital.

– Só tenho ouvido da prefeitura que ela tomou todas as medidas para estancar a fraude. O governo quer chamar para si um protagonismo que não condiz com a verdade – afirma Breier.

Perícia

Na tentativa de demonstrar que não operou a fraude denunciada pelo MPF, o Instituto Sollus encomendou uma perícia nos contratos e demonstrativos de pagamentos produzidos durante o período em que gerenciou o Programa Saúde da Família. A auditoria, que deve ser concluída em 10 dias, será entregue aos vereadores da Capital e à Polícia Federal.

ALIÁS

Mesmo que o Instituto Sollus defenda a criação da CPI na Câmara, a base do governo vai fazer de tudo para impedir a investigação, alegando que quer impedir a exploração eleitoral.