Luciana Genro

Filme imperdível

19 de abril de 2010 08h37

“Green Zone”, ou  “Zona Verde”, do diretor Paul Greengrass (o mesmo do Ultimato e Supremacia Bourne) é espetacular. Falando de  guerra e política, o enredo é uma mistura de realidade e ficção e toca em um tema delicadíssimo para os americanos, que não havia sido abordado por nenhum outro filme: a mentira que levou os EUA à guerra contra o Iraque, e o fiasco posterior. Muito melhor do que o oscarizado “Guerra ao Terror”, que eu confesso ter achado meio cansativo.

Em “Zona Verde” Matt Damon é um militar que está no Iraque e tem como missão encontrar as armas químicas escondidas pelo governo de Saddam Hussein. Damon recebe da inteligência as coordenadas para chegar nas armas, mas ele e sua equipe nunca encontram nada nos locais indicados. Ao colocar em dúvida a qualidade da informação que está recebendo, acaba descobrindo que o problema é bem maior.

Para quem não lembra dessa história na vida real, a suposta existência de armas químicas no Iraque foi razão oficial dos EUA irem à guerra contra Saddam após o ataque às torres gêmeas. Após meses de guerra e buscas inúteis, Bush acabou reconhecendo a inexistência das tais armas químicas, e culpou uma fonte que teria mentido à inteligência americana. Na mesma época Bush também anunciou que venceu e encerrou a guerra do Iraque, mas os EUA continuam atolados lá até hoje. No filme, a cena dos soldados ouvindo Bush dizer que a guerra acabou e os EUA venceram é sensacional. Melhor ainda é a verdadeira história da “fonte que mentiu” mostrada pelo filme. Uma versão muito mais crível do que a história oficial.