Luciana Genro

Famílias em área de risco em Porto Alegre: 700 ou 15 mil?

14 de abril de 2010 13h08

A Prefeitura de Porto Alegre não se entende sobre o número de famílias que residem em áreas de risco. No Jornal do Comérico de ontem a SMAM informa que são 15 mil famílias. Já a Zero Hora de hoje revela a existência de um “levantamento em fase de conclusão” que apontaria a existência de 700 famílias vivendo em área de risco. O Jornal do Comércio de ontem revela também que na Vila Alto Erexim há um penhasco de pedras com aproximadamente 20 mil metros de altura, e que a Defesa Civil estima que o local tenha uma área de 5 mil metros quadrados com moradias, onde vivem 80 famílias em áreas de risco, sendo que “todos os moradores já foram notificados pela Defesa Civil quanto ao grau de periculosidade da localização de suas residências”. Já na Zero Hora essas 80 famílias não aparecem. Se o problema fosse só um mal entendido em relação ao conceito de área de risco, menos mal. Mas a questão principal é que efetivamente nada tem sido feito para remover essas famílias, sejam elas 700 (que talvez sejam as mais emergenciais) ou as 15 mil. De que adianta “notificar” as pessoas, se elas não têm para onde ir? Depois da tragédia não adianta chorar. Tem que agir já!