Luciana Genro

Resposta do PV à resolução do PSOL

22 de dezembro de 2009 18h41

O PSOL apresentou ao PV um conjunto de propostas para que possa viabilizar-se nosso apoio à candidatura de Marina Silva à presidência da República. Eis aqui a resposta enviada pelo PV à executiva do PSOL. A resposta me parece positiva pois demonstra um genuíno interesse em seguir dialogando.

Resposta da convenção do PV, à resolução do PSOL:

Caros Companheiros da comissão Executiva do PSOL

O Partido Verde, passa por um processo de reformulação programática e Estatutária, e dentro desse processo e a partir da filiação a seus quadros da Senadora Marina Silva, tomou a decisão de disputar as eleições presidenciais de 2010 com chapa própria apresentando ao Brasil a possibilidade de dar o passo seguinte às políticas implementadas no País pelos últimos governos. Entendemos que o Brasil pelas suas características próprias talvez seja o único no mundo a reunir as condições de liderar um novo modelo de desenvolvimento, Socialmente justo e ambientalmente sustentável. Pelos recursos naturais, pela nossa biodiversidade ainda preservada e pela criatividade de nosso povo.

Neste sentido estamos promovendo um amplo debate de um novo programa para o partido, e de um programa de governo para o Brasil.

Dentro desse processo orientado pela ética e sustentabilidade achamos importante negociar as alianças em torno de nossa pré-candidatura  e entendemos que temos com o PSOL naturalmente algumas divergências e convergências.

Entendemos que para prosseguirmos na busca dessa aliança, seja importante explicitarmos nossas divergências e convergências com vistas à  soma efetiva  de nossas potencialidades de forma a sermos perfeitamente compreendidos pela sociedade brasileira.

Assim nos manifestamos sobre os pontos propostos pelo PSOL para o debate:

*Independência política – concordamos com os termos propostos sobre os princípios que devem nortear as alianças nos estados

*Defendemos um novo modelo de desenvolvimento econômico compatível com o programa que estamos elaborando, que seja socialmente justo ambientalmente justo e profundamente democrático, capaz de dar o passo seguinte das políticas sociais dos últimos governos assegurando a plena cidadania do povo brasileiro. Há claramente diferenças de avaliação entre nós no que tange a políticas econômicas.

*Defendemos a autonomia a legitimidade bem como o caráter indispensável dos movimentos sociais, a garantia de uma profunda reforma agrária, respeito e aprofundamento dos direitos humanos em todos os sentidos. Entendemos, no entanto, que o limite para atuação dos movimentos sociais é o estado democrático de direito.

*Defendemos a autodeterminação dos povos, bem como apoiamos os avanços conquistados em países da América Latina  e em todo o mundo que contribuam efetivamente na consolidação da democracia. Há diferenças entre nós na avaliação de alguns processos em curso.

*Entendemos que de forma coerente com nossa visão de uma sociedade internacional justa o estado Brasileiro cumpre um papel fundamental na implementação desse novo modelo de desenvolvimento a partir das condições privilegiadas que temos. Sendo portanto indispensável o fortalecimento do papel do estado.

Dentro dessas definições entendemos que o PSOL e o PV têm, apesar de divergências  no campo ideológico e programático, há convergências  a justificar essa aliança. Pensamos que será mais proveitoso com o avanço das discussões explicitar claramente os pontos de convergência e os de divergência do que escamotear ou abstrair eventuais diferenças. Entendemos que nosso partido está aberto a mudanças de visão e apostamos na hipótese de que o PSOL tenha a mesma postura.

A convenção Nacional do PV realizada em São Paulo neste dia 19-12-2009 responde à mensagem do PSOL com a clara compreensão de que devemos prosseguir nas nossas discussões para aprofundar o diálogo em torno dos nossos pontos de convergência e de divergência e verificar da possibilidade de uma aliança com vistas à 2010.

São Paulo, 19 de dezembro de 2009

Convenção Nacional do Partido Verde