Luciana Genro

Diário Regional, 9 de dezembro de 2009

09 de dezembro de 2009 06h07

PSOL denuncia enriquecimento ilícito de filha da governadora

A deputada Federal Luciana Genro (PSOL), os vereadores Pedro Ruas e Fernanda Melchiona (PSOL) e o presidente do Partido Socialismo e Liberdade, Roberto Robaina anunciaram, em entrevista coletiva às 14 horas desta terça-feira (08) que estão encaminhando ao Ministério Público de Contas (MPC) denuncia de enriquecimento ilícito da psicóloga  Tarsila Roratto Crusius.  A filha da governadora Yeda Crusius exerce a coordenação da Rua da Cidadania , cargo assistencial do governo do Estado correspondente ao de Primeira Dama, sem receber remuneração para tanto.

A denuncia é de que ela, mesmo sem renda, adquiriu uma casa de luxo, em condomínio fechado na rua Caí, no bairro Cristal, pelo valor de R$310 mil, configurando o crime de enriquecimento de acordo com a lei estadual 12.980, de junho de 88. Pedro Ruas explicou que casos de compras de  imóveis,  animais de raça, iates e outros bens do mesmo nível, por agentes públicos, mesmo sem remuneração devem ser investigados pelo Tribunal de Contas como enriquecimento ilícito. O mesmo é previsto nas leis federais 8424/92 e 8730/93 .

A deputada Luciana denunciou também que tramita na 12ª Vara Cível uma notificação jurídica feita pelo vice-governador Paulo Feijó (DEM) Nesta denuncia Feijó afirma que fez uma doação para a campanha do aluguel de uma sede na rua Nilo Peçanha e que até hoje não recebeu o valor e tampouco aparece na prestação de contas  feita ao Tribunal Regional Eleitoral (TER). Luciana disse que “esta é mais um prova de que existiu caixa dois na campanha de Yeda, como o PSOL denunciou em fevereiro deste ano”.

Robaina disse que o PSOL iniciou o ano com denúncias contra a governadora Yeda Crusius e está encerrando 2009 com 0utras denuncias.  Já Pedro Ruas afirmou ao encerrar a entrevista  que “ O mais grave é que este é o segundo escândalo envolvendo um imóvel caro com a mesma família no governo do Estado”.

Conforme documento do Cartório de Registro de Imóveis da capital, a casa foi comprada do casal Ronaldo Fernandes e Joeci Fernandes, pelo valor de R$310 mil. Uma entrada de R$150 mil, no dia 3 de junho, uma parcela de R$15 mil no dia 10/06, mediante a desocupação da casa, três parcelas de 20 mil cada em julho, agosto e setembro  e dez parcelas de R$7 mil nos dez meses subsequentes, terminado os pagamentos em novembro de 2010.

Fonte: Por Walmaro Paz, de Porto Alegre