Luciana Genro

A volta do “segredo de justiça”

03 de dezembro de 2009 08h06

Durante a campanha para a Prefeitura de Porto Alegre eu fui a única candidata a levantar suspeitas contra a administração de Fogaça. Foi por causa do escândalo do lixo. Agora parece que a Polícia Federal flagrou conversas comprometedoras, envolvendo altas autoridades, que estariam combinando preços superfaturados para a licitação do PISA. Digo “parece” porque não ouvi as gravações, mas não tenho motivos para duvidar da palavra da deputada Stela Farias. O que me estarrece e indigna é essa história do segredo de justiça. De novo esse instrumento será utilizado para deixar a sociedade no escuro, e na interminável discussão sobre se existem ou não as  gravações. Já vimos esse filme, ele é cansativo e não tem graça nenhuma.