Luciana Genro

R7, 18 de outubro de 2009

18 de outubro de 2009 10h19

Deputada rebelde não se acha “filha-problema”
Luciana Genro engravidou aos 16 anos e trocou o PT pelo PSOL, mas diz que se dá bem com o pai e ministroTarso Genro

A deputada federal Luciana Genro (PSOL-RS), ao lado de Chico Alencar (PSOL-RJ), do deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) e da ex-senadora Heloisa Helena: todos eram petistas e passaram à oposião, mas só Luciana tem um pai no governo (Foto por Wilson Dias/Agência Brasil)

A deputada federal Luciana Genro (PSOL-RS), ao lado de Chico Alencar (PSOL-RJ), do deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) e da ex-senadora Heloisa Helena: todos eram petistas e passaram à oposião, mas só Luciana tem um pai no governo (Foto por Wilson Dias/Agência Brasil)

A deputada federal Luciana Genro (PSOL-RS) é um caso diferente de “filho-problema”. Filha do ministro da Justiça Tarso Genro, ela foi expulsa em 2002 do PT, partido que tem o o pai como um dos principais caciques. Luciana se tornou uma voz furiosa da oposição, na esquerda radical do PSOL, enquanto o pai comanda um dos ministérios mais importantes do governo Lula.

Mas as discordâncias políticas entre os dois vem de há muito tempo:

– Eu tive uma adolescência que poderia ser classificada como rebelde. Era muita contestadora, saí de casa muito cedo, aos 16 anos, engravidei, tive um filho, mas apesar das brigas, o meu pai foi minha inspiração política.

Nem quando ainda estava no PT, Luciana militava em uma corrente diferente da do pai. E quase sempre protagonizavam disputas políticas que ganhavam as manchetes da imprensa gaúcha.

– Nós tivemos uma polêmica disputa política às vésperas do meu casamento, em 1997, que acabou repercutindo. Aconteceu que vários convidados meus não foram à festa por causa do meu pai e outros convidados dele não foram por causa de mim.

Mas ela conta que, apesar de tudo, hoje mantém um relacionamento com o pai.

– É só não falarmos de política no almoço de domingo que está tudo bem.