Luciana Genro

Zero Hora, 9 de setembro de 2009

09 de setembro de 2009 11h36

COMANDO DO TCE
Vargas se afasta para tratamento de saúde

Pressionado por alguns conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) a se afastar da presidência, João Luiz Vargas pediu ontem uma licença para tratamento de saúde. Ele telefonou, no final da tarde, para o vice-presidente do TCE, Porfírio Peixoto, comunicando que ficará afastado de sete a oito dias para a realização de exames.

Vargas teve alterações nos batimentos cardíacos na manhã de segunda-feira em São Sepé, onde passava o feriado com a família. Segundo a mulher dele, a ex-prefeita da cidade Júlia Vargas, o presidente do TCE fez exames preliminares no Hospital Santo Antônio. Depois de receber os resultados, ontem à tarde, ele decidiu pedir licença. Ontem, Vargas passou o dia repousando.

Enquanto isso, em Porto Alegre, alguns conselheiros da Corte se reuniam ontem para discutir a antecipação das eleições para a presidência do Tribunal de Contas, previstas para dezembro. Colegas de Vargas acreditam ser essa a melhor saída para a crise provocada pela quebra dos sigilos bancário e fiscal do atual presidente, autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça. Vargas é réu na ação de improbidade administrativa que tramita na 3ª Justiça Federal de Santa Maria, suspeito da fraude do Detran.

Conforme Porfírio, a reunião terminou sem conclusões, após o pedido de licença do presidente.

– Não teve nada de conclusivo porque, dependendo dos exames, o conselheiro João Luiz pode continuar ou não. Essas questões de saúde só podem ser decididas pelos médicos que estão tratando dele – diz o vice-presidente.

Em agosto de 2008, o presidente pediu afastamento, depois do Ministério Público Estadual encaminhar à Procuradoria-Geral da República uma notícia-crime contra ele. Vargas ficou cinco meses afastado na época.