Luciana Genro

PSOL apoia greve de operários em Candiota

02 de setembro de 2009 15h07

A cidade gaúcha de Candiota é conhecida nacionalmente pela geração de energia nas usina termelétricas. São centenas de trabalhadores envolvidos na geração de energia nas estações Candiota I e Candiota II. Atualmente, está em curso a expansão da geração de energia. A fase C do projeto, Candiota III, é uma obra do PAC – Plano de Aceleração do Crescimento e pretende aumentar em 350 megawatts a capacidade de todo o complexo.

São cerca de 2 mil operários envolvidos na obra. Há inúmeras denúncias relacionadas às péssimas condições de trabalho e em setembro de 2008 os trabalhadores já haviam realizado uma greve reivindicando melhores salários e segurança. Os poucos resultados obtidos pelos trabalhadores na greve de 2008 e a continuidade dos acidentes de trabalho, somados à morte do soldador Alan Alves, de 21 anos, em 6 de agosto deste ano, foram responsáveis pela deflagração de uma nova greve, que começou no dia 17 de agosto.

Os operários reivindicam 10% de reajuste nos salários e pagamento de insalubridade eou periculosidade. O consórcio de empresas responsável pela obra nega-se a negociar enquanto a categoria continuar em greve. A justiça já determinou a legalidade da greve e os trabalhadores aguardam uma audiência no Ministério do Trabalho.

As empresas anteciparam o pagamento dos salários, que normalmente ocorre no dia 5, para o dia 31. Dessa forma, pressionam os trabalhadores, pois já foram descontados os dias de greve. Inúmeros pais de família relataram o recebimento de menos de R$ 20 de salário.

Em se tratando de uma obra do PAC, e com inúmeros problemas nas relações de trabalho, acreditamos que o governo federal deva se pronunciar com extrema urgência. É necessário que as empresas aceitem a negociação com os trabalhadores e que as perseguições cessem imediatamente. Estamos acompanhando e apoiando a greve dos operários de Candiota. Acreditamos que nossa tarefa consista em cercar de solidariedade essa mobilização. É urgente e necessário romper o bloqueio midiático aos absurdos que ocorrem na Fase C da Usina Termelétrica Presidente Médici.

Estamos construindo redes de solidariedade nas cidades de Bagé e Pelotas, mas acreditamos que seja necessário dar uma batalha sem fronteiras em defesa dos operários de Candiota. Até a vitória!


Jurandir Silva, PSOL Pelotas
Clodoaldo Fagundes, PSOL Bagé

psolzonasul@gmail.com