Luciana Genro

Perseguição a sindicalistas é sinal de fraqueza

02 de setembro de 2009 11h08

Ao contrário do que pode parecer, a criminalização da luta contra Yeda é um sinal de grande fraqueza política do governo. Primeiro foi o indiciamento de Rejane e Neida, dirigentes do CPERS, e da nossa vereadora Fernanda, por causa da manifestção em frente à casa de Yeda.  Agora foi o indiciamento do presidente da CUT e da presidente do CPERS, por causa da campanha de outdoors denunciando Yeda. Nem nos terrívesi tempos de Britto esse tipo de perseguição havia acontecido. Isso para não falar do assassinato do sem-terra, fato ainda mais grave do que qualquer outro. Essas violência, perseguição e tentativa de intimidação são uma demonstração de que o governo está encurralado. Perdeu o diálogo com a sociedade, e portanto não pode suportar as manifestações democráticas que pedem seu impeachment. Precisa reprimir para tentar mostrar uma força que não tem.