Luciana Genro

Correio do Povo, 7 de agosto de 2009

07 de agosto de 2009 10h15

Dia agitado no Legislativo

A sessão plenária de ontem na Assembleia Legislativa foi curta, mas agitada. Durante a sessão, que se encerrou às 15h30min, grupos de deputados assinavam o requerimento e outros ocupavam a tribuna para criticar o governo e defender a CPI. O deputado Miki Breier (PSB) disse que, com a CPI, a Casa assume seu papel fiscalizador. ‘O poder Legislativo precisa dar uma resposta política à sociedade’, afirmou.

Raul Carrion (PC do B) foi à tribuna e pediu brevidade na instalação da CPI. Também reforçou pedido de quebra do sigilo da ação do MPF, que será solicitado esta tarde pelo presidente do Legislativo, Ivar Pavan, à juíza federal Simone Barbisan Fortes, em Santa Maria. Adroaldo Loureiro (PDT) disse que sua bancada vai atuar ativamente para que a população seja esclarecida ‘para saber separar o joio do trigo e limpar o quadro político do Estado’. Já o deputado Adão Villaverde (PT) buscou a mediação com o discurso do PSol. ‘É possível concatenar a CPI e o impeachment’, defendeu.

PSol quer o impeachment

A direção do PSol voltou a pedir, ontem, ao presidente da Assembleia Legislativa do estado, deputado petista Ivar Pavan, que a Casa aprecie o pedido de impeachment da governadora Yeda Crusius. A solicitação do partido está na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia e precisará ser apreciada em sessão plenária do Legislativo. No entanto, ainda não qualquer prazo definido para a apreciação da matéria. O parecer do presidente da Comissão de Constituição e Justiça, deputado Paulo Odone, foi contrário ao pedido apresentado no mês de dezembro do ano passado.