Luciana Genro

Jornal do Comércio, 1 de julho de 2009

01 de julho de 2009 09h31

DEM apoia afastamento de Sarney da presidência

A bancada do DEM no Senado decidiu em reunião ontem defender o afastamento de José Sarney (PMDB-AP) da presidência do Senado. O DEM apoiou a eleição de Sarney e se reuniu para revisar o apoio incondicional do partido ao peemedebista após as denúncias de irregularidades nas contratações de parentes.

“O DEM apoia claramente o pedido de licença do presidente Sarney até que a investigação apresente resultados. As investigações precisam ser transparentes”, afirmou o líder do DEM no Senado, Agripino Maia (RN). A isenção recomenda a licença do presidente Sarney”, diz Agripino.

A pressão sobre Sarney não para de crescer. O P-Sol protocolou ontem a segunda representação contra Sarney para que ele seja investigado no Conselho de Ética do Senado. Na segunda-feira, o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), denunciou Sarney e pediu que ele fosse investigado no conselho pelos mais de 600 atos secretos da Casa.

Sarney encaminhou, no fim de semana, uma carta aos 80 colegas de Senado para se defender das denúncias de que seu neto teria sido favorecido em negociações com a instituição. Sarney reconhece que uma empresa de José Adriano Sarney intermediava empréstimos consignados, mas afirma que não interferiu nos negócios do neto.

A pressão pela saída de Sarney aumentou depois da descoberta de que seu neto é dono de uma empresa que negocia contratos de empréstimos consignados com funcionários do Senado. Vários parentes de Sarney foram empregados em gabinetes de outros senadores por meio de nomeações em atos secretos.

De Trípoli, na Líbia, onde se encontra, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva solicitou aos parlamentares que o Senado continue trabalhando, mesmo com as denúncias de escândalos. Até ontem, o presidente desconhecia a movimentação dos partidos pedindo o afastamento de José Sarney do cargo.

ADÃO OLIVEIRA

Decoro
O P-Sol protocolou ontem nova representação por quebra de decoro contra o presidente do Senado, José Sarney. Uma outra representação entregue inclui ainda o líder do PMDB, Renan Calheiros, antecessor de Sarney na presidência da Casa.