Luciana Genro

Jornal do Comércio, 4 de março de 2009

04 de março de 2009 15h12

Polícia Federal vai investigar denúncias do P-Sol

A pedido do Ministério Público Eleitoral, a Polícia Federal (PF) vai investigar as denúncias feitas pelo P-Sol envolvendo a governadora Yeda Crusius. Ontem pela manhã, o procurador regional eleitoral, Vitor Hugo Gomes da Cunha, entregou um requerimento ao superintendente da PF no Estado, delegado Ildo Gasparetto. Eles já haviam conversado na segunda-feira sobre o caso.

Gomes da Cunha solicitou ao delegado quatro providências. Primeiro, a PF deve fazer contato com os denunciantes, no caso a depurada federal Luciana Genro e o vereador Pedro Ruas, ambos do P-Sol, para obter informações sobre as provas que eles dizem existir.

Em seguida, deve tentar localizá-las e, caso obtenha sucesso nesse segundo passo, o Ministério Público Eleitoral pede que seja feita uma análise técnica para comprovar se o material encontrado serve como prova de fraude eleitoral. O último passo da PF seria, em caso de comprovação de crime eleitoral, apontar os responsáveis.

Segundo a assessoria de imprensa do Ministério Público Eleitoral, as recomendações contidas no requerimento enviado à PF são de praxe. O procurador regional eleitoral não quis comentar o assunto. De acordo com Gomes da Cunha, até agora “as denúncias são vazias” e ele só voltará a falar se houver algum fato relevante.

Deputada diz que repetirá acusações

Quase duas semanas após a entrevista coletiva em que os líderes do P-Sol acusaram a governadora Yeda Crusius de cometer irregularidades na campanha eleitoral de 2006, a Polícia Federal entrou no caso. Ontem o superintendente da PF no Estado, Ildo Gasparetto esteve na sede do Ministério Público Federal (MPF) e, à noite, viajou para Brasília para acompanhar a investigação sobre a morte do ex-representante do governo do Estado, Marcelo Cavalcante.

Em Brasília, Gasparetto também deve conversar com a deputada federal Luciana Genro (P-Sol). Ela afirma que irá repetir à PF todas as acusações feitas contra o governo do Estado, mas não apresentará provas. “Tenho muita tranquilidade porque tudo o que foi dito é verdadeiro. Apontamos onde estão essas provas”, assegura.

Luciana diz ainda que a iniciativa do Ministério Público Eleitoral foi correta. “Foi excelente, porque a Polícia Federal pode coletar novas provas e obter, junto ao MPF, as que já existem”.

No dia 19 de fevereiro, líderes do P-Sol gaúcho disseram ter obtido acesso a nove provas de um conjunto de 28 que estão em poder do MPF. Entre elas estariam gravações em vídeo e áudio que comprovariam doações irregulares para a campanha da governadora. Também teria ocorrido partilha de verbas desviadas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), irregularidades envolvendo a casa da governadora Yeda Crusius e pagamento de contas pessoais da governadora por agências de publicidade. Na ocasião, o P-Sol não apresentou provas, mas afirma ter chegado aos dados a partir de investigação paralela feita pelo próprio partido.

Líderes rejeitam pedido de acesso a provas ao MPF

Lucas Azevedo

O colégio de líderes da Assembleia negou, por maioria de votos, o encaminhamento ao Ministério Público Federal (MPF) do pedido de acesso às provas colhidas na Operação Rodin. A iniciativa tinha partido da bancada petista e foi apresentada na manhã de ontem aos representantes dos demais partidos.

Acompanharam o PT a favor do pedido à Justiça o PCdoB e o PSB. Já PMDB, PPS, PP, PSDB e PTB se manifestaram contra, enquanto o PDT e o DEM se abstiveram.

“A denúncia do P-Sol envolve um conteúdo grave. O fato é que não foram apresentadas as provas correspondentes. Pela manifestação da maioria dos seus líderes, a Assembleia entendeu que esse não é o seu papel”, avaliou o presidente do Legislativo gaúcho, Ivar Pavan (PT).

Segundo ele, o requerimento deve ser feito individualmente. “Cabe a cada bancada, cada partido ou cada deputado propor as iniciativas que acharem adequadas neste momento.”

O líder da bancada peemedebista na Assembleia, deputado Gilberto Capoani, considerou as acusações do P-Sol como sendo feitas “ao vento e sem comprovação”. “A Casa não pode sair à procura de alegações de determinadas pessoas e trazer isso para a instituição se posicionar. Pode sim, o deputado de determinado partido, se entender por bem, pedir o que quiser ao MP”, afirmou, defendendo a iniciativa individual.

Segundo o parlamentar, seria inoportuno a Assembleia fazer a solicitação ao MPF. “Já tivemos uma CPI para investigar. Não há fato novo, apenas uma coletiva do P-Sol onde levantaram que haveria provas sob segredo de Justiça.”

O líder da bancada do PSDB, Adilson Troca, relator da CPI do Detran, defendeu que é direito do P-Sol fazer a denúncia. No entanto, ele acredita que a Casa não deve se envolver. “Se o deputado tem o direito de fazer denúncias, que faça. A Assembleia fez uma CPI que levou ao MP o que apurou. É o Judiciário quem tem o poder de julgar o processo. Até lá, cabe a ele dar a palavra”, salientou.

Para o líder petista Elvino Bohn Gass é dever da Casa cobrar explicações sobre as acusações de corrupção. “São denúncias gravíssimas e, no nosso entender, o parlamento precisaria se posicionar”, comentou. Após a negativa na reunião de líderes, ele anunciou que se reunirá com todas as bancadas para que assinem uma representação que será encaminhada ao Ministério Público Eleitoral (MPE).

O objetivo é investigar indícios de prática de crime eleitoral por membros do governo de Yeda Crusius.

A representação, segundo o líder da bancada petista, deve agregar novos elementos e personagens, podendo gerar novas linhas de investigação.

Os deputados Gilmar Sossella e Paulo Azeredo, do PDT, manifestaram o interesse em discutir com seus colegas de parlamento novas ações em relação às provas do MPF. Foi levantada, inclusive, a possibilidade de criação de uma comissão para rebuscar os dados da CPI do Detran.

Comissão do Plano Diretor debate segurança de voo

A comissão especial que analisa a proposta de revisão do Plano Diretor de Porto Alegre realiza nesta amanhã, a partir das 9h30min, reunião com o comandante do 5º Comando Aéreo Regional (V Comar), major-brigadeiro-do-ar Raul José Ferreira Dias. O objetivo é debater os eventuais problemas que as alturas elevadas dos prédios podem ocasionar ao Aeroporto Internacional Salgado Filho.

Pontal do Estaleiro será discutido em audiência

O projeto do Executivo municipal que trata da área do Pontal do Estaleiro será discutido em audiência pública da Câmara Municipal de Porto Alegre amanhã. A nova proposta tem conteúdo semelhante ao da matéria aprovada pelos vereadores no ano passado, mas traz artigo prevendo a realização de uma consulta à população. O encontro acontece no plenário Otávio Rocha (avenida Loureiro da Silva, 255), às 19h.

FERNANDO ALBRECHT

Semana Lilás

A deputada federal Luciana Genro (P-Sol) foi uma das homenageadas na abertura da Semana Lilás, promovida pela prefeitura de Cachoeirinha. O evento agraciou mulheres que desempenham papel de destaque na cidade e no Estado. Além de Luciana, também receberam homenagens as deputadas federal Manuela D’Àvila e estadual Stela Farias e a única vereadora de Cachoeirinha, Rosane Lipert.