| coronavírus | Notícias

Diante de diversos relatos sobre o atraso nos pagamentos, a deputada Luciana Genro (PSOL) cobrou informações do governo estadual a respeito do auxílio emergencial gaúcho. O benefício foi anunciado pelo Executivo um ano atrás e seria destinado a mulheres chefes de família em vulnerabilidade social, empresas dos setores de alojamento, alimentação e eventos, microempreendedores individuais do mesmo setor e trabalhadores desempregados também destes setores. No entanto, apenas os dois primeiros grupos foram contemplados por enquanto.

Os pagamentos começaram a ser feitos para mulheres chefes de família em maio de 2021 e as empresas começaram a ser pagas há 10 meses. Desde então, não houve mais movimentações para que sejam pagos os microempreendedores e os trabalhadores desempregados. O governo alega estar aguardando a liberação de dados pelo INSS, entretanto, a deputada argumenta que a demora já ultrapassou o razoável, devendo a Administração buscar alternativas.

“Temos muita preocupação com o atraso nos pagamentos. Sabemos que o cenário econômico não está favorável para esses grupos, que se vêem buscando a retomada de seus trabalhos com a diminuição da pandemia; contudo, ainda sofrem com os efeitos do desemprego ou do aumento do preço de insumos, que prejudicam a todos”, aponta Luciana Genro.

A deputada solicitou que o governo informe qual o número de contemplados de cada um dos grupos e o valor que foi pago até o momento, com dados mensais. Ainda, questiona se há um cronograma estabelecido para os pagamentos faltantes e se a plataforma de dados do INSS é a única base de dados possível de ser utilizada. A parlamentar também pergunta quais medidas estão sendo tomadas para sanar o problema da liberação dos dados necessários.

Confira aqui a íntegra do ofício.