Professores, alunos e pais em mobilização no Palácio Piratini | Foto: Juliana Almeida
Professores, alunos e pais em mobilização no Palácio Piratini | Foto: Juliana Almeida

| Educação | Notícias

O pedido de urgência para realização de obras na escola de Ensino Médio Tuiuti, de Gravataí, foi levado pela comunidade escolar e pelas deputadas Luciana Genro (PSOL) e Sofia Cavedon (PT) até o governo do Estado. A demanda foi entregue ao secretário adjunto da Casa Civil, Bruno Freitas, no final da manhã desta terça-feira (25/06).

A direção, os pais e os alunos da Tuiuti estiveram na reunião da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa desta terça, após uma semana de ocupação na escola. A organização serviu para chamar a atenção para a luta que a comunidade trava desde 2018, quando começou a pedir a reconstrução de um pavilhão cujo forro desabou.

“Eu interditei o pavilhão por uma intuição. Uma professora me avisou que o forro estava abaloado e eu imediatamente retirei os estudantes dali. No dia seguinte, ele caiu. Agora toda semana temos que encontrar um espaço para os estudantes, são cerca de 200 que precisam trocar de sala sempre”, explica a diretora Geovana Rosa Affeldt, destacando que depois da ocupação a escola recebeu a resposta de que a obra retomaria na segunda-feira e que os professores seriam destinados para o colégio.

Deputada Luciana Genro acompanhou entrega de documento com demandas no Palácio Piratini nesta terça-feira | Foto: Juliana Almeida

A escola não teve aulas nos últimos dois dias por uma determinação da CRE até que um engenheiro avalie o risco dos prédios, o que ocorreria nesta terça. O secretário adjunto da Casa Civil explicou, entretanto, que não há uma interdição formal determinada pelo governo do Estado.

A ocupação serviu ainda para alertar para o fechamento da biblioteca da escola, para a falta de professores, para o encerramento do calendário dos sábados integradores e para o sucateamento da educação e a falta de prioridade com que o governo estadual trata a educação. A escola tem 1,2 mil alunos e 79 anos de referência na educação pública de Gravataí.

“A mobilização de vocês está de parabéns, porque é um grande exemplo de luta, força e capacidade de se fazer ouvir. Vocês fizeram o problema ganhar visibilidade e por isso tiveram a resposta para a obra e para a falta de professores. Vocês fizeram certo em lutar contra o desmonte da educação, que é um projeto de governo, e uma realidade no que está acontecendo no Estado”, destaca a deputada Luciana Genro, colocando a disposição da comunidade a equipe de Gravataí da ONG Emancipa de educação popular, da qual é presidente.

Os pais de alunos, Jefferson Julião e Ana Lúcia Maffioletti, e o estudante Victor Mello também falaram durante a reunião da comissão sobre o sucateamento da escola, sobre a promoção de festas e ações para angariar recursos para pagar segurança e jardinagem para a escola e sobre os projetos de esporte desenvolvidos no colégio.

“Fizemos uma manifestação pacífica para evitar uma catástrofe na escola, que está sucateada e causando um risco de vida eminente aos estudantes, aos professores e aos funcionários. Percebemos muita negligência e falta de respeito com os professores e com a direção e ameaças a quem luta pela educação”, explanou Jefferson.

Funcionário retira o forro de uma das salas | Foto: Tamires Paveglio

A Comissão de Educação fez uma visita à escola nesta sexta (28/06). Representando o mandato da deputada Luciana Genro, estava a equipe da Emancipa Gravataí, ONG de Educação Popular fundada pela deputada no RS em 2011. A proposta é fazer uma parceria com a escola para oferecer as aulas do curso pré-vestibular no local.

Na próxima semana, os alunos da Tuiuti possivelmente retomarão as aulas até a retirada por completo do forro de outras salas de aula (foto ao lado). Nos últimos dias, eles foram liberados a terem aulas em um galpão e na parte administrativa da escola.