Luciana Genro

PSOL vai à Justiça contra aumento abusivo do Trensurb

01 de fevereiro de 2018 18h44

Parlamentares e lideranças do PSOL-RS protocolaram na terça-feira (06/02) uma ação popular na Justiça Federal contra o aumento da passagem do Trensurb, que atende Porto Alegre e municípios da Região Metropolitana. A medida é elaborada pelos advogados do partido, Luciana Genro, Pedro Ruas e Rafael Lemes. A peça é assinada pelos vereadores de Porto Alegre Roberto Robaina, Fernanda Melchionna e Karen Santos, pelo vereador de Viamão Guto Lopes, pela vereadora de Pelotas Fernanda Miranda, pelo ex-candidato a prefeito de Pelotas, Jurandir Silva, e pelo presidente do Sindimetrô, Luís Henrique Chagas.

– Acesse aqui a íntegra da ação

O aumento na tarifa do Trensurb foi de 94%, passando de R$ 1,70 para R$ 3,30. Para Luciana Genro, trata-se de um claro reajuste abusivo. “O Brasil tem 14 milhões de desempregados, só na Região Metropolitana de Porto Alegre são 205 mil pessoas sem trabalho, que utilizam diariamente o Trensurb para se locomover e procurar emprego. Um aumento de quase 100% na tarifa é um crime contra os desempregados”, disse a ex-deputada.

O reajuste foi autorizado pelo Ministério do Planejamento, respondendo a uma política direta do governo Temer. A Trensurb alega que não houve aumento de tarifa durante 10 anos, mas neste período a variação da inflação foi de 75%, enquanto que o reajuste da passagem é de 94%.

Os trabalhadores da Trensurb, através do Sindimetrô, também estão mobilizados contra o aumento e denunciam seu caráter abusivo. O Ministério Público Federal (MPF) abriu um inquérito para investigar o reajuste. De acordo com reportagem publicada no Jornal do Comércio, o procurador Celso Antônio Tres, de Novo Hamburgo, conduzirá o procedimento e irá solicitar explicações à empresa.

Para a vereadora Fernanda Melchionna, “o aumento abusivo representa um assalto no bolso da população”. A parlamentar destaca que “um trabalhador que utilize o Trensurb duas vezes por dia gastará ao fim do mês o valor equivalente a 41 litros de leite”. “Estão tirando comida da mesa das pessoas! Além disso, o processo movido pelas empresas do transporte rodoviário contra a União mostra que os barões do transporte querem garantir um monopólio, equiparando os valores de todas as tarifas de transporte coletivo. E o pior é que sabemos que já há nova proposta dos empresários para aumentar a tarifa em R$ 0,90 centavos em 2019”, declarou.

O PSOL apoia o abaixo assinado convocado pelo coletivo Juntos contra o aumento. Clique aqui para assinar!