Luciana Genro

Massacre no presídio de Roraima: não foi acidente

06 de janeiro de 2017 13h20
Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, na zona rural de Boa Vista | Foto: SESP-RR/Divulgação

Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, na zona rural de Boa Vista, onde 33 presos foram mortos na madrugada desta sexta-feira (06/01) | Foto: SESP-RR/Divulgação

Por Luciana Genro, advogada e dirigente do PSOL

Novo massacre de presos, agora em Roraima. Provando que o que ocorreu em Manaus não foi um acidente, mas sim o resultado de uma política deliberada de descaso com os direitos constitucionais de seres humanos que estão encarcerados.

Sim, eles cometeram crimes, e pela lei devem ter uma pena de privação de liberdade, mas não de privação de dignidade, de humanidade. É esta situação, explícita na superlotação dos presídios e na barbárie neles instalada, que alimenta as facções como o PCC.

Milhares de homens encarcerados, sem direitos básicos, são alvos fáceis do recrutamento do crime organizado. Quem chega em um presídio sem facção pode não sobreviver se não se aliar a uma delas. É o crime organizado quem controla os presídios.
A matança entre os presos pode agradar aos que são defensores da ideia de que bandido bom é bandido morto. Mas é bom lembrar que dirigir embriagado e causar um acidente de carro pode levar um hoje “cidadão de bem” para a cadeia. É bom lembrar também que os que estão presos serão um dia soltos, e soltos voltarão ao convívio com todos.

Que pessoa será essa quando ela sair da prisão depende também do tipo de prisão em que ela foi mantida. A violência interna nos presídios se volta contra toda a sociedade.

Solidariedade às famílias das vítimas. Vamos seguir exigindo JUSTIÇA de verdade, ESTADO DE DIREITO para todos neste país!