Luciana Genro

Luciana defende políticas de incentivo e microcrédito para alavancar cooperativas e economia solidária

15 de setembro de 2016 16h53
Políticas para economia solidária foram detalhadas por Luciana | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Políticas para economia solidária foram detalhadas por Luciana | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Em painel entre candidatos no Fórum Municipal de Economia Popular e Solidária, Luciana Genro reafirmou o compromisso com pequenos empreendedores e o fomento de cooperativas que gerem emprego e renda de forma descentralizada. O encontro ocorreu na tarde desta quinta-feira (15/09), no Centro Histórico de Porto Alegre.

Em seu espaço, a candidata afirmou que democracia e participação popular são a base do projeto do PSOL para Porto Alegre. Luciana ainda criticou os cortes que vem sendo feitos pelo governo ilegítimo de Michel Temer,  que aprofunda a retirada de direitos que já vinha sendo conduzida contra os trabalhadores. Como alternativa para fomentar a pequena economia, ela defendeu que o governo municipal passe a priorizar compras de cooperativas em detrimento de gastos com grandes empresas, como forma de distribuir os gastos e fazer o recurso circular na cidade. “O Estado tem sido mesquinho com o cooperativismo. As compras governamentais poderiam ser direcionadas ao cooperativismo ao invés de se valer de apenas iniciativa privada”.

Luciana ainda defendeu que sejam oferecidas políticas de crédito voltadas aos pequenos empreendedores. “A (Instituição Comunitária de Crédito) Portosol precisa voltar a oferecer um microcrédito verdadeiro e pensamos até mesmo que parte do pagamento à prefeitura possa ser em produtos e serviços das próprias cooperativas”, exemplificou.

Ao encerrar, Luciana demarcou posição quanto à postura que terá no governo. “É preciso ter lado, tenho deixado claro que não vou fazer uma política rendida ao grande comercio.  É preciso enxergar o outro lado, que é o lado mais fraco. E o cooperativo é o lado mais fraco, então é quem mais precisa de apoio do poder público. Podem contar conosco para incentivar iniciativas de feiras e ocupação das ruas e dos parques, para desenvolver economicamente a cidade e atender aqueles que mais precisam”, concluiu.