Luciana Genro

Compromisso com saúde pública é reforçado por Luciana ao movimento OcupaSUS

30 de agosto de 2016 18h23

 

Carta aberta foi recebida por Luciana em encontro no comitê do PSOL | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Carta aberta foi recebida por Luciana em encontro no comitê do PSOL | Foto: Alvaro Andrade/PSOL

Em encontro com integrantes do movimento OcupaSUS-RS a candidata Luciana Genro, da coligação “É a vez da mudança” (PSOL, PPL, PCB), reafirmou o compromisso com a valorização do Sistema Único de Saúde em todas as ações que competem ao município. Os participantes do encontro manifestaram preocupação com a política de desmonte do SUS que vem sendo encaminhada pelo governo interino de Michel Temer e pediram apoio.

Eles citaram que as diretrizes apontadas nos relatórios do Conselho Municipal de Saúde vêm sendo sucessivamente descumpridas pela atual administração de Porto Alegre. Ainda manifestaram preocupação com a falta de estrutura para atendimento de saúde mental e psicossocial, além da baixa cobertura no atendimento básico, com equipes de saúde da família. “Estamos buscando interlocução com os candidatos para ampliar esse debate e expor os problemas reais. Muitas vezes essa discussão fica restrita ao âmbito dos profissionais ou acadêmicos, mas precisamos discutir a gestão de saúde com que vai administrar a cidade”, afirmou Quelen da Silva, uma das integrantes do OcupaSUS-RS.

Luciana Genro garantiu que está alinhada à defesa de uma saúde pública e 100% gratuita, valorizando profissionais e dando condições dignas de trabalho. Citou ainda que pretende ampliar as equipes de atenção básica e desenvolver uma política pública em diálogo e interlocução permanente com os agentes envolvidos com a área. “Queremos governar com a inteligência da cidade e trazer a sociedade organizada para governar conosco. Precisamos reunir esse conhecimento acumulado para gestão coletiva”, disse.

Já o médico e candidato a vereador pelo PSOL, Dr. Marcelo Rocha, citou o exemplo de outras capitais que atestaram a viabilidade de fazer uma cobertura universal no atendimento público da saúde. “Florianópolis e Curitiba levaram à rede primária a 100% de cobertura. Por que não podemos fazer o mesmo aqui?”, questionou.

Ao final do encontro, Luciana recebeu o documento que o grupo tem distribuído aos candidatos a prefeitura de Porto Alegre, em que constam as preocupações sobre o SUS na capital gaúcha