Luciana Genro

Motoristas de ambulância pedem fortalecimento do SAMU em Porto Alegre

02 de junho de 2016 14h31
Foto: Compartilhe a Mudança/Divulgação

Representantes do SINDICAERS apresentaram suas demandas a Luciana Genro e Fernanda Melchionna | Foto: Compartilhe a Mudança/Divulgação

Representantes do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado do Rio Grande do Sul (SINDICAERS) reivindicam o fortalecimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Porto Alegre. A demanda foi exposta em reunião com a pré-candidata do PSOL à prefeitura, Luciana Genro, e a vereadora Fernanda Melchionna.

De acordo com a direção do sindicato, Porto Alegre possui cerca de 4,5 mil condutores de ambulância, incluído os sistemas público e privado de saúde. Em 2015, o SAMU realizou 46 mil atendimentos em Porto Alegre, sendo que possui apenas 12 ambulâncias de suporte básico e três de UTI em funcionamento na cidade. “Tem horários que chega a ter 30 pedidos na fila aguardando atendimento”, denuncia o sindicato.

O SINDICAERS denuncia a precariedade dos contratos de manutenção das ambulâncias com oficinas, que são feitos por outros profissionais, não pelos motoristas, que são os que mais entendem das necessidades técnicas dos veículos. Além disso, a entidade informa que um condutor de ambulância em Porto Alegre recebe um salário básico de apenas R$ 863,00, enquanto que em Veranópolis, por exemplo, o valor mínimo é de R$ 4,7 mil.

O sindicato reivindica a ampliação do número de ambulâncias e do quadro profissional, a valorização salarial dos motoristas e a qualificação do curso de formação recebido pelos trabalhadores.