Luciana Genro 50

Retrospectiva: Em Porto Alegre, 2015 foi um ano de luta por mais direitos

28 de dezembro de 2015 15h03
| Foto: Luciano Victorino/PSOL

No dia 15 de dezembro as mulheres ocuparam a Praça da Matriz para debater feminismo e direito à cidade | Foto: Luciano Victorino/PSOL

Redação #Equipe50

No início do ano, Luciana Genro comentou a respeito do papel das cidades na luta anticapitalista. “É na cidade que o sistema capitalista se concretiza como excludente, como opressor, como discriminatório. É na cidade que os LGBTs não têm acolhimento, onde são perseguidos, discriminados e desenvolvem a luta pela igualdade. É na cidade que as mulheres enfrentam a violência e encontram o seu espaço de luta por um salário igual ao dos homens e pelo direito de andar livremente nas ruas sem serem assediadas. É na cidade que a juventude é criminalizada e busca o seu espaço de lazer e de sociabilidade. É na cidade que os trabalhadores se organizam para lutar pelo salário, pelo seus direitos”, disse.

Em 2015, Porto Alegre expressou todas essas lutas e contradições. Já nos primeiros meses do ano, os servidores municipais deflagraram uma longa greve para exigir o básico do governo Fortunati/Melo: reajuste salarial com ganho real. Lá estava o PSOL apoiando a luta dos municipários e travando o combate político com seus dois vereadores na Câmara Municipal, Fernanda Melchionna e Alex Fraga.

– Seminário “Cidade Para Quem?” propõe reflexão sobre problemas urbanos e luta anticapitalista
– Luciana Genro e Marcelo Freixo debatem segurança pública e direitos humanos em Porto Alegre
– “Criar em Porto Alegre uma cidade das mulheres é um desafio de subversão”, diz Luciana Genro

Foto: Divulgação/PSOL

A arquiteta e urbanista Raquel Rolnik esteve em Porto Alegre para falar sobre luta por moradia no dia 22 de junho | Foto: Divulgação/PSOL

Três grandes ciclos de debates agitaram a Capital ao longo do ano. Organizados pelo PSOL, os seminários “Cidade Para Quem?” trouxeram ativistas e intelectuais de renome nacional e internacional para debater as questões urbanas sob diversas matizes. No dia 22 de junho, a arquiteta e urbanista Raquel Rolnik falou sobre direito à cidade ao lado de Luciana Genro e do deputado estadual Pedro Ruas. Em 16 de julho, foi a vez de Marcelo Freixo vir a Porto Alegre para falar sobre Segurança Pública e Direitos Humanos no contexto das cidades, juntamente com o advogado Salo de Carvalho. Por fim, no dia 15 de dezembro a filósofa feminista Márcia Tiburi, a professora de Oxford Rosana Pinheiro-Machado, Luciana Genro, a vereadora Fernanda Melchionna e as militantes do Juntos Winnie Bueno e Marcela Pellin ocuparam, junto com centenas de mulheres, a Praça da Matriz para debater a construção de Porto Alegre enquanto uma “Cidade das Mulheres” – premissa que deu nome ao evento, idealizado por Luciana Genro.

2015 também foi o ano em que a população LGBT fez ouvir sua voz, sua luta e sua alegria pelas ruas de Porto Alegre. No dia 28 de junho, a Parada de Luta LGBT lotou a Redenção e trouxe para a cidade o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ). Na mesma noite, a festa #Ahazando animou os presentes no Bar Ocidente e contou com um bate-papo entre Jean e Luciana Genro.

Na Assembleia Legislativa, Luciana Genro e Pedro Ruas estiveram na linha de frente contra o ajuste de Sartori | Foto: Marcelo Bertani

Na Assembleia Legislativa, Luciana Genro e Pedro Ruas estiveram na linha de frente contra o ajuste de Sartori | Foto: Marcelo Bertani

No dia 17 de setembro, o PSOL gaúcho lançou a sua Cartilha de Direitos LGBTs. A publicação é inédita no país e reúne uma detalhada lista de todos os direitos que a população LGBT já possui no Brasil, no Rio Grande do Sul e em municípios gaúchos. Além disso, a cartilha traz análises políticas de militantes, indicações de filmes e livros e um glossário de expressões utilizadas na luta política e na vivência cotidiana de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

Finalmente, no dia 8 de novembro ocorreu a 15ª edição da Parada Livre. O evento, que já se consagrou no calendário da cidade, possui uma dimensão de massas, que neste dia se encontram na Redenção para lutar por mais direitos e celebrar a diversidade. Luciana Genro esteve junto com os LGBTs na Parada Livre, onde dialogou com a população, distribuiu cartilhas e marcou presença no trio elétrico do coletivo Juntos!

PSOL lançou Cartilha de Direitos LGBTs no dia 23 de outubro

PSOL lançou Cartilha de Direitos LGBTs no dia 23 de outubro

A luta das mulheres também deixou suas marcas em Porto Alegre no ano de 2015. No dia 7 de novembro, as mulheres tomaram a Redenção em marcha contra Eduardo Cunha. E no dia 29 de novembro ocorreu a Marcha das Vadias, que reúne toda a diversidade do movimento feminista na luta pelos direitos das mulheres e contra os retrocessos. Novamente, lá estava o PSOL em ambos os atos!

Confira todas as edições do ciclo de debates “Cidade Para Quem?” na íntegra:


Dia 22 de junho, com Raquel Rolnik, Luciana Genro e Pedro Ruas


Dia 16 de julho, com Marcelo Freixo, Salo de Carvalho, Luciana Genro e Pedro Ruas


Dia 15 de dezembro, com Marcia Tiburi, Luciana Genro, Rosana Pinheiro-Machado, Fernanda Melchionna, Winnie Bueno e Marcela Pellin