Luciana Genro

Até quando vamos encarar com naturalidade a responsabilização das mulheres pelos crimes cometidos por homens?

17 de agosto de 2015 15h38

Por Luciana Genro

Foto: Reprodução/Zero Hora

As perguntas, publicadas por Zero hora sem nenhuma observação crítica, são tão criminosas quanto as manchetes do “Tio Astolfo | Foto: Reprodução/Zero Hora

ATÉ QUANDO VAMOS SUPORTAR OU ENCARAR COM NATURALIDADE A RESPONSABILIZAÇÃO DAS MULHERES PELOS CRIMES COMETIDOS PELOS HOMENS?

Está causando horror um blog de um psicopata auto intitulado “Tio Astolfo”, a mais recente aberração misógina, uma incitação ao crime contra as mulheres. Ao que parece ele é gaúcho pois destilou sua ignorância contra as estudantes da UFRGS num post intitulado “UFRGS – CAMPUS DO VALE: UM IMENSO TERRITÓRIO PARA A PRÁTICA DO ESTUPRO E VIOLÊNCIA CONTRA ESQUERDISTAS, FEMINISTAS E DEMAIS DEGENERADOS”.

Outros assim:

– É SEU DEVER ESTUPRAR UMA MULHER BRASILEIRA (MAIS CONHECIDA COMO PROSTITUTA SOCIAL).
– Como podemos definir o estupro? Como uma arte, esporte ou ciência?
– Mulheres são fúteis e ignorantes, só quero comer, não consigo ter empatia por elas.
– Todo pai deveria ter o direito legal de ESTUPRAR sua filha.

Estou tomando providências para denunciar este blog criminoso e tirar do ar esta incitação ao crime. Entretanto a foto que postei com esta nota não é do blog. É de uma matéria da Zero Hora, na qual internautas fizeram perguntas para uma mulher que teve as duas mãos decepadas pelo seu ex namorado. As perguntas, publicadas pelo jornal sem nenhuma observação crítica, são tão criminosas quanto as manchetes do “Tio Astolfo”. Em certo sentido são piores por que ao não serem tão explicitamente misóginas acabam passando como naturais. As perguntas (Por que não se separou no primeiro tapa? Por que demorou tanto tempo para perceber que ele não mudaria? O que você fez para ele perder a cabeça?) e a publicação delas como se fossem questionamentos justos, alimenta a violência contra as mulheres, naturaliza a culpabilização das vítimas e inibe a denúncia, pois as mulheres se sentem responsabilizadas pela violência que sofrem.

BASTA!!!!!