Luciana Genro

29 de maio: Dia de paralisação geral contra o ajuste fiscal de Dilma e Levy e as terceirizações

27 de maio de 2015 12h19

Por Redação #Equipe50

Luciana Genro convoca a população para aderir às manifestações do dia 29 de maio.

O segundo mandato do governo de Dilma Rousseff (PT) não está dando trégua aos trabalhadores brasileiros. Dilma, o PT e o ministro Joaquim Levy optaram por cortar recursos em todas as áreas – inclusive as essenciais, como Educação e Saúde – para economizar dinheiro público para pagar os juros da dívida e manter o superávit primário. Para fazer isso, promovem um duro ajuste fiscal nas costas do povo.

As MPs 664 e 665 retiram direitos dos trabalhadores, dificultando o acesso ao seguro-desemprego e a pensões, sob o pretexto de economizar recursos públicos. Nós, do PSOL, apontamos que a saída para a crise deve ser pela esquerda, promovendo o ajuste fiscal sobre os ricaços, taxando as grandes fortunas e o setor financeiro, além de promover uma auditoria na dívida pública do país.

Como se não bastassem os ataques do governo Dilma/Levy, o Congresso Nacional ameaça rasgar a CLT e ampliar drasticamente as terceirizações no país. É para reagir a esses ataques que a classe trabalhadora irá se mobilizar, nesta sexta-feira, dia 29 de maio, através de uma paralisação geral. Esse é o método de luta dos trabalhadores. Somente a mobilização nas ruas irá frear os ataques e demonstrar ao governo e aos políticos do sistema que a classe trabalhadora não irá assistir calada à retirada de seus direitos.