Luciana Genro

Dia Nacional de Paralisações mobiliza trabalhadores em todo o país

15 de abril de 2015 17h45

Por #LucianaGenro

O Dia Nacional de Luta e Paralisações segue firme em todo o país, com trabalhadores dispostos a combater o retrocesso representado pelo PL das Terceirizações. Neste post, condenso informes sobre a situação em diversas cidades e estados. Em Contagem, na Grande Belo Horizonte, centenas de pessoas participaram de uma mobilização contra o projeto. Os trabalhadores – a grande maioria, metalúrgicos – fecharam por cerca de uma hora o cruzamento da Avenida Amazonas com a BR-381, que liga Minas Gerais a São Paulo.

Em Vitória, no Espírito Santo, manifestantes colocaram fogo em pneus na Terceira Ponte e em acessos próximos à Segunda Ponte. No Centro da cidade, a Polícia Militar entrou em confronto com os trabalhadores, utilizando gás lacrimogêneo e balas de borracha para reprimir o protesto.

Em São Luís, no Maranhão, as centrais sindicais, de forma unificada, estão promovendo, desde as 6h, um ato público em adesão às mobilizações nacionais. Os manifestantes interditaram a BR-135 e se concentram em frente à Universidade Federal do Maranhão (UFMA), bloqueando a entrada e a saída do campus. Também realizam ato em frente à Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema).

Em Fortaleza, no Ceará, a concentração ocorreu na Praça do Carmo, no Centro da cidade. Os manifestantes promovem um escracho aos deputados federais que votaram a favor da lei das terceirizações, com cartazes com todos estampando seus rostos e nomes.
Já Salvador permaneceu sem ônibus até as 8h da manhã, cumprindo uma decisão dos trabalhadores rodoviários. Em Brasília, os rodoviários paralisaram as atividades pela manhã e os trabalhadores dos Correios realizam uma paralisação durante todo o dia. Na Capital Federal, os trabalhadores da limpeza e os professores também aderiram às mobilizações.

Em Sergipe, os trabalhadores da Petrobras aderiram ao movimento. Já em Curitiba, o foco foram as paralisações nas montadoras e nas indústrias de autopeças. No Pará, os professores da rede estadual e da Universidade Estadual estão em greve. A eles, se somaram hoje os trabalhadores das universidades federais, da construção civil e dos bancos.

Em Recife, os trabalhadores se concentram em frente à Federação das Indústrias. Lá, os professores também estão em greve e marcharão juntos até a sede do governo estadual. Entre as 8h e as 10h30min, os rodoviários paralisaram suas atividades e desceram dos ônibus nas avenidas centrais. Os metroviários também aderiram ao movimento, fechando completamente as estações.