Luciana Genro

No Pará, Luciana Genro defende desenvolvimento “ambiental e socialmente sustentável”

13 de setembro de 2014 12h59

Por Redação #Equipe50

Crédito: Divulgação PSOL

Crédito: Divulgação PSOL

Em visita ao mercado Ver-o-Peso, tradicional ponto comercial e cultural de Belém do Pará, a candidata do PSOL à Presidência da República, Luciana Genro, defendeu neste sábado (13) um desenvolvimento econômico “ambiental e socialmente sustentável”.

Acompanhada de lideranças do partido no Estado, como o candidato a governador, Marco Carrera, o postulante ao Senado, Pedrinho Maia e o deputado estadual Edmilson Rodrigues, que concorre à Câmara dos Deputados, a presidenciável dialogou com comerciantes e frequentadores do mercado.

Luciana destacou que sua candidatura aposta na construção de uma política de mudança estrutural para o Pará e a região. “Esse Estado tem condições de ser ponta de lança em um projeto nacional que atenda os interesses da maioria do povo. Preservar a Amazônia é uma necessidade de toda a humanidade, principalmente do povo brasileiro, no sentido de garantir que o desenvolvimento econômico seja ambientalmente sustentável e também socialmente sustentável” disse a presidenciável.

Ela também criticou as políticas que usam as vocações econômicas do Pará em benefício de grandes empresas e não da maioria da sua população. “Nós queremos trazer para a Amazônia a proposta de um desenvolvimento que tenha conexão com as necessidades do povo. Temos hoje projetos de grandes hidrelétricas que não trazem benefício para a população. E o maior exemplo disso é que o Pará é o maior produtor de energia elétrica do Brasil e o povo não só paga uma das contas mais caras, com recente reajuste de 34%, como a maior parte das comunidades não tem energia”, afirmou a candidata.

Voto útil

Crédito: Divulgação PSOL

Crédito: Divulgação PSOL

Questionada pela imprensa sobre o quadro eleitoral, Luciana afirmou que a prática do “voto útil”, que é dar o voto apenas a candidatos melhor cotados nas pesquisas, está equivocada e que a melhor opção do eleitor no primeiro turno é votar naquele que considera o melhor candidato, e não o menos pior. “O verdadeiro voto útil é o voto no melhor candidato, e jogar o voto fora é votar em alguém que pode ganhar e te decepcionar, como estes que dizem representar uma nova política mas cedem a interesses”, disse a presidenciável.

A candidata também ressaltou que a única maneira de manter a coerência política e governar para a maioria da população é contar com o apoio e a força da mobilização popular. “Não podemos ceder aos interesses poderosos que vão tentar nos dobrar. Nós precisamos nos apoiar na mobilização popular para fazer as grandes mudanças que são necessárias no Brasil. E nós temos a convicção de que o PSOL, vencendo as eleições, tem condições de ajudar a impulsionar e organizar o povo brasileiro para enfrentar as elites econômicas, os banqueiros, os grandes proprietários de terras e o agronegócio, para garantir as mudanças que são necessárias para atender essas demandas que foram às ruas em junho de 2013 e que não foram atendidas pelos governos” afirmou ela.

Santarém

Após a visita ao Ver-o-Peso, Luciana participou de almoço com professores universitários. À tarde, a candidata cumpre agenda em Santarém, principal município do Oeste do Pará, onde concede entrevista coletiva, participa de plenária de campanha e realiza caminhada no Festival do Sairé, em Alter do Chão. Luciana fica no Estado até domingo (14).