Luciana Genro

Luciana Genro divulga programa para relações exteriores

22 de setembro de 2014 19h20

Por Redação #Equipe50

A candidatura de Luciana Genro (PSOL) à Presidência da República divulgou seu programa para as relações exteriores, com propostas para alterar o rumo da política externa brasileira, que hoje continua seguindo uma lógica de dependência e subdesenvolvimento, a despeito da aparência de relevância construída nos últimos anos.

“Entendemos que a política externa do governo brasileiro deve estar em consonância com um novo modelo de desenvolvimento interno. A mudança radical de prioridades deve se refletir na diplomacia brasileira. A participação do Brasil no sistema internacional deve ocorrer de forma soberana e solidária. A independência nacional significa a conquista da liberdade política, econômica e social por parte do povo brasileiro. Além disso, o PSOL defende que o Brasil pode exercer uma política externa construída não apenas pelo governo, nos gabinetes dos Ministérios e do Planalto, mas também diretamente pelo povo, titular do poder político”, diz o documento.

O projeto do PSOL para as relações exteriores centra-se nos seguintes eixos: defesa da autodeterminação dos povos e o rompimento de relações diplomáticas com países que violem as leis internacionais; direito à independência e à liberdade; busca de uma integração regional que diminua a dependência dos países capitalistas centrais; combate ao Imperialismo em todas as suas manifestações; e ampliação da participação da sociedade civil na política externa.

Entre as propostas concretas do programa, estão:

– Apoio à formação de estados nacionais autônomos, à secessão e à integração de territórios, desde que produto da vontade livre e soberana dos povos, bem como a solidariedade aos povos em luta contra o imperialismo;

– Busca da solução pacífica dos conflitos, respeitando o princípio da não-intervenção, com fim da participação brasileira em qualquer operação militar intervencionista e o fim de exercícios militares conjuntos com países que não respeitem este principio;

– Retirada das tropas brasileiras do Haiti e substituição por um Corpo Permanente de Paz e Solidariedade composto por médicos, professores, engenheiros e outros profissionais;

– Rompimento de relações diplomáticas com todos os Estados que promovam a violência e agridam o direito à autodeterminação dos povos, com imediata revogação dos acordos de cooperação militar com esses países, como é o caso do Estado de Israel;

– Concessão de asilo aos perseguidos políticos de qualquer nacionalidade;

– Criação do Conselho Nacional de Política Externa, de caráter consultivo e não remunerado, com participação de setores da sociedade;

– Suspensão e revisão da Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana (IIRSA), para avaliar impactos ambientais e violação de direitos dos trabalhadores;

– Combate ao terrorismo, mas com rejeição a políticas de “guerra ao terror” que justificam ataques às lutas dos povos do mundo;

– Luta pela democratização dos organismos internacionais e combate às medidas promovidas unilateralmente, como no caso do embargo econômico imposto pelos EUA a Cuba.

Para saber mais sobre o programa do PSOL para mudar o Brasil, acesse http://lucianagenro.com.br/programa/